Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Mirela (Cais do Parto) - Filha de junho


Alguém se ancorou aqui em mim,
se instalou assim neste cais do meu peito.
Ao lançar âncoras, lançou desafio.
Deste porto me distancio,
parto deste cais,
talvez, nunca mais.

Alguém descobriu uma rota em mim
depois mapeou meu peito em canções
tatuou em meus olhos
a distância de nossos corações.
Deste cais
eu parto deste porto.
Voltar, nunca mais.

Pérolas lhe emprestaram
o brilho de seus olhos
que na inocência nada vê,
ilhas isolaram meu mundo de você.

Não há de quê
se lhe fiz nascer
deste cais do parto.
Deste cais eu parto para gerar meus versos,
inversos de sonhos,
faróis que iluminam trilhas de você.

Não há de quê se eu lhe fiz nascer.
Há um porém que trouxe você à memória.
Filha, você tem história
que me fez tecer neste cais seu parto.
Deste cais, se eu parto,
nunca mais voltarei.
Mauro Gouvêa
Enviado por Mauro Gouvêa em 26/03/2006
Código do texto: T128723

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Mauro Gouvêa - www.recantodasletras.uol.com.br/autores/maurogouvea). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Mauro Gouvêa
Alfenas - Minas Gerais - Brasil, 51 anos
432 textos (56474 leituras)
3 áudios (837 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 11:52)
Mauro Gouvêa