Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Eu por mim mesmo

Simples e puro amor de criança
Sempre ele acreditava na infância
Teve muitos sonhos e esperança
Mas os sonhos morreram (junto com a ignorância)

Mas só era parte
Da ignorância em si
Pros sonhos, fez descarte
Mas eles viveram em ti

Alguns anos e amores se passaram
Enquanto ele criava idéias
Mas não sabia que a felicidade e o amor
Eram em si; desiguais

Descartaram-se os sonhos
Vieram os desejos
E sonhos medonhos
Depois da amada, o beijo

Não era de amor
Mas sim de despedida
Eu sou um idealizador
E vi o ideal da vida

Cantar ao mundo sempre
Um pouco de alegria
Expressar o que sente
Seja felicidade ou agônia

Sempre cantar ao mundo
Que se torna imundo
A cada dia, mesmo que seja mostrar
A tristeza e realidade do ser humano
E também a alegria!

===========================================
http://oescritorrandomico.blogspot.com.br
O Escritor Randômico
Enviado por O Escritor Randômico em 30/03/2006
Reeditado em 10/04/2016
Código do texto: T131146
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
O Escritor Randômico
Curitiba - Paraná - Brasil, 28 anos
61 textos (5639 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 06:19)
O Escritor Randômico