Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Lua Cheia

Redonda a lua
que faz clarão
na minha varanda.
Recordação distante
da infância nutrida
de amor e esperança.

Doce saudade
que vem num relance
ao olhar para o céu.
Com o dedo para o alto
deixo escapar:
-Olhe a lua!

O mundo da máquina
nada sabe da lua
que ilumina outro mundo...
E a saudade me leva pra rua
com lembranças tão caras
num suspiro profundo.

Cantigas de roda, Boca de forno...
E a lua a espiar
as brincadeiras inocentes como as crianças
que brincavam de Esconde-Esconde.
E a lua entrava nas nuvens e saía...
-Olhe, a lua está andando!

Meninos e meninas
inocentes, mas traquinas
cantavam, gritavam, corriam.
O olhar inquieto acompanhava
a inquietude da lua
que entrava e saía das nuvens vazias.

Noite clara tão curta!
pra tão longas brincadeiras:
Chicotinho queimado, Pai Francisco
Cabra cega,amarelinha...
Que mais brincadeiras havia
No caderno de Lucinha?

Uma voz macia e calma
chegava até a rua...
-Meninos, é hora!
Era mamãe com seu desvelo maternal.
Olhares eram trocados
mas tudo era natural.

-E a corda, onde está?
Guarde-a para amanhã
porque, mamãe, não brinquei
de anelzinho e nem cantei
as cantigas de roda
nem meus versos joguei.

E o tempo tão bom
passava depressa
como o meu pensamento
ao olhar para o céu agora.
Onde ficaram as Cantigas de Roda?
A doce poesia do tempo de outrora?

Mena
Enviado por Mena em 23/05/2006
Código do texto: T161461

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Mena
Brumado - Bahia - Brasil
539 textos (113467 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 02:02)
Mena