Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ah!... Gaivotas...


Abro a janela debruçada sobre o rio
Os gerânios que plantei, estão florindo!...
Sorriem para mim
Tal e qual imaginei que seria

As mesmas gaivotas cantadeiras!...
Revoando sobre o Tejo como D.Amália cantou.
O mesmo Tejo que Carlos do Carmo exaltou,
Até as docas e vagas contou!.

Contou e não encontrou o número certo dessa agonia,
Que é saber de Lisboa o máximo que ela tem.
É andar de dia
E à noite cantar o fado!...

O que me traz aflição?
É de fato o pequeno almoço brejeiro?
Ou o fado que trago na memória
Que passamos a noite a cantar?

Silêncio vai cantar o Fado!
Seguem-se as múltiplas emoções!...
Da voz, da interpretação e da figura em ação!
O xaile preto? É marca desta forte canção!

O xaile que age como um selo,
O vinho não falta sobre a mesa,
As guitarras choram a tocar,
O fado é uma vida a desfolhar-se.

O Tejo banha Lisboa
Subidas e descidas, narinas impregnadas,
Com o cheiro que tem Lisboa,
Varinas cantam para seu peixe entregar

É a emoção que nos toma o coração
Quando abro a janela
E debruçada sobre o Tejo
Vejo Lisboa acordar!



Publicado no livro Cantos do Mundo, Antologia com 18 autores publicada por Abrali editor

Denise Figueiredo
Enviado por Denise Figueiredo em 09/09/2006
Reeditado em 23/10/2006
Código do texto: T236558

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite e o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Áudio
AH!... GAIVOTAS.... - Denise Figueiredo
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Denise Figueiredo
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 67 anos
313 textos (14439 leituras)
16 áudios (2928 audições)
5 e-livros (193 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 15:58)
Denise Figueiredo