Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

BESTAS DE CARGA

Ali vivem as bestas
impregnadas, assentadas
sobre suas arquiteturas.
Mais parecem
rosas recém paridas
ou dálias descabaçadas,
ambas de laias parecidas
essas rachas da candura.

São bestas altivas
cheias de domínios,
nobres proprietárias.
Sustentam seus comércios
agiotando prazeres.
Uns gozos à vista,
outros em três vezes,
com juros e correção,
pra agrado dos fregueses,
causa que o molho é difícil
e coalhado de dizeres.

Um deita aqui Seu Joããão.
Cuida da cueca e dentadura
do Tião das Mercês!
Colo? Se pagar dobrado,
ilustre menino chorão!
Contudo presentemente,
um beijar molhado de bocas
só se Jesus em pregação
disser que a distinção
entre vigário e meretriz
é missa sem forró e baião
e paga de dízimo sem tesão!




André Oliveira, um Jerico
WWW.IDEIADEJERICO.COM
André um Jerico
Enviado por André um Jerico em 16/11/2007
Código do texto: T740008

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Andre Barbosa de Oliveira www.ideiadejerico.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
André um Jerico
Monte Santo de Minas - Minas Gerais - Brasil, 47 anos
56 textos (824 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/08/17 03:46)
André um Jerico