Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Satanismo do dia a dia

Trucidei o diabo
Numa sexta-feira macabra
Degolei a vida e a enforquei num poste
Pra todo mundo ver que ela não vale nada
Continuei andando na rua
Sob o luar escuro
Pisando em chamas vivas
Não tinha medo algum
Pois não estaria ali
Pra ver o sol novamente

Congelado e trucidado
O mal se esqueceu de mim
Foi procurar outra fonte humana
E a vida que me foi dada
Não sei por quem
Esta lá pendurada
Pra todo mundo ver
Que eu morri de novo

Sob olhares silenciosos
Escondidos em várias lentes
Eu caminhei em meio  a fumaça
Branca de amor
Não o amor comum
Um amor só meu
Pois não sei quem sou
Se a vida já passou
Eu fiquei pendurado na praça
Pra todo mundo ver
Que morri de novo


 
Enviado por PÉ em 20/05/2006
Código do texto: T159822
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Curitiba - Paraná - Brasil, 50 anos
5 textos (176 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 22:48)
PÉ