Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PAREDES DE PRIMAVERA

       
           EM TODOS OS SONHOS QUE ME VI MORRER
                   NÃO TIVE PERNAS PARA CORRER
  ENTÃO COM O CORPO DOLORIDO VOEI PARA A ESCURIDÃO               DESTAS FLORES MORTAS NESTA PINTURA DE CAIXÃO
     
        EM PAREDES DE PRIMAVERA PALIDA, TRISTE E FRIA
                   COMO EM QUALQUE JARDIM DE RENÊ
               MEU CORAÇÃO TE ESPEROU PARA SEMPRE
               AO VENTO QUE LAGRIMAS SE FEZ NASCER

            QUANTO TEMPO SE FAZ DE QUAL MANHÃ É ESSA
                  ONDE SE FEIXA ENTRE PAREDESE EU DIGO
                               NÃO, NÃO TENHA PRESSA
                   TERMINE SEU CHÁ MAIS ESTÁ DE CASTIGO

  POR PEGAR A CAIXA DE ANTE DEPRECIVOS E TENTAR O SUICÍDIO
          TER FICADO QUATRO MESES DE CAMA EM HOSPICIOS
           TÃO DURAS QUANTO AS FRASES DITAS PELA CULPA
      POR ESCREVER CARTAS EM QUARTOS DE PAREDES FEIXADAS
                       POR TER ESCRITO TE AMO
           DEIXANDO AS PAREDES RABISCADAS
         
DIEGO HUXLEY
Enviado por DIEGO HUXLEY em 04/09/2007
Código do texto: T638403

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
DIEGO HUXLEY
Sobradinho - Distrito Federal - Brasil, 30 anos
221 textos (11169 leituras)
1 áudios (42 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/17 21:45)
DIEGO HUXLEY