Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ONDE FICOU O CALOR DAS CHAMAS QUE AQUECERAM O POETA ENQUANTO ELE ESTEVE NO INFERNO DE DANTE

     

                        A CADA LAGRIMA QUE ESCORRIA
                       DEIXAVAS UM PREGO EM SEUS PÉS
                   SEUS POMARES DE AMOR NÃO VINGASTE
                     DONJALES OLHOS DE FRUTOS VASTOS.

       DEPOIS DE MUITO TEMPO POR VILAS NO INFERNO REGRESSO.
         MATANDO TODOS MALDITOS VIVIDOS EM MEUS VERSSOS,
            COM TODAS AS LUZES QUE NÃO SE FIZER DOR ,
              NO ESTREITO CAMINHO DESTE VERGO AMOR

                A LOUCURA DE SONDERTRO APENAS PIOROU.
 DIZES QUE SE FEZ PECANDO TRONCOS QUE CULTIBOLGHI MOSTROU,
         DIFONTOITYR NAVEGASTE POR MARES E ESTÁS TÃO
                                CURVADO A AMORES
    QUE SUAS ENTRANHAS EXPOSTA NÃO TRAZEM SUAS DORES.

      TODAS AS SOMBRAS DE DINURTE APLAUDEM SEU REOTORNO
         AGORA QUE TRITÃO E IZOLDA NÃO PARAM DE DANÇAR
                   VINDOS DA NOSTALGIA DO MESMO FORNO
                      QUE ESTIVE ETRNAMENTE A QUEIMAR.

                    FLONGIS E BERNINDIS FICARAM POR LÁ
      NÃO DEIXARAM GUNAD E VANESSA SAIREM PARA PASSEAR
        CURATIVOS ABRIRIAM PORTAIS QUE NÃO SEI EXPLICAR
         AGORA QUE O SOL SE VAI SOB ESTE ECLIPSE TOTAL.

DIEGO HUXLEY
Enviado por DIEGO HUXLEY em 07/09/2007
Reeditado em 09/09/2007
Código do texto: T642318

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
DIEGO HUXLEY
Sobradinho - Distrito Federal - Brasil, 30 anos
221 textos (11156 leituras)
1 áudios (42 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/17 14:17)
DIEGO HUXLEY