Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Manto sagrado

Sou prata da roça na casa de roça
emprateleirada no pó,
não de prata poeira,
de ouro de chão aquilatado.
Ourivesaria por estrondo
de bravo alvo gado.

Sou chão de fétida peroba
 vermelho indevido,
mênstruos pintados.
Rastros e vestígios
do sangue seco pisado
em botina de terra curtida.

Sou poeira da terra entediada
a esmolar lágrimas do céu
na margem da estrada em brasa,
assada e dourada em pó
vermelho da nuvem de ouro,
que tosse seco em face ensopada!

Sou capim árduo em puro pedregulho
alforriado do chão ultrajado.
Terra arrasada e defunta,
Porque me deixou viúvo sem verde
e sem rede de gato em unhas,
inteiramente só com o sol.
De resto é me lembrar
e me esquecer pó.

Até que a chuva me reapresente sem dó!
André um Jerico
Enviado por André um Jerico em 18/09/2007
Código do texto: T658061

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Andre Barbosa de Oliveira www.ideiadejerico.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
André um Jerico
Monte Santo de Minas - Minas Gerais - Brasil, 47 anos
56 textos (824 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 19:18)
André um Jerico