Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Natureza Humana

Natureza viva que flúi e escorre,
Realidade abaixo morre.
Quase ateia, perdeu-se na crença
Que a Vida pouco dista de doença.
Faz sofrer e faz sorrir
Quem voa sem medo de cair
Na descrença de ser escusado
O tempo que passa disfarçado.
Constantemente inconstante
Amálgama de névoa e luz distante,
Ilusão adentro procria,
Natureza morta que vivia.

_____________________________________

ps - Venho deste modo pedir desculpa a todos os que liam meus poemas e queria pedir imensas desculpas em especial para a Fátima Rodrigues. Entrei para a faculdade. A minha vida está muito complicada e o tempo escapa-me. Estou neste momento a escrever poemas em 3 sites. Decidi que vou focar-me num único site desses 3. Não sei se me é permitido dizer o site, por razões de publicidade em sitios improprios mas, caso queiram entrar em contacto comigo, plenilunio_II@hotmail.com, este é o meu msn. Este poema é o último que deixarei neste site. É um poema simbólico e alusivo à ocasião. Quem perceber o poema concordará comigo. Desde já, peço desculpa por não ter comentado a maior parte dos poemas que por aqui passaram. Como já referi, o meu tempo está dificil de gerir. Cada vez mais coisa para fazer e os dias não ficaram mais longos por isso, ainda só têm 24 horas. Enfim, obrigado a todos os que, apesar de tudo ainda leram alguns dos meus poemas e gostaram. Agradeço mesmo muito. Se tiverem msn, por favor entrem em contacto comigo. Já agora, para quem não gostou dos meus poemas, peço desculpa também.
Um abraço bem forte a todos e mantenham-se fiéis àquilo em que acreditam.

pps - Fátima Rodrigues, eu encontro-me num outro site de poesia. Por favor, entra em contacto comigo via msn. Caso não tenhas msn, via e-mail. Não sei o teu endereço, mas o meu é o que referi atrás. És das poucas pessoas que notaram a minha falta neste site, e isso tem muita importancia para mim. Não quero deixar de ler o que escreves. Acho que tens muito jeito e muito para ensinar. Quiça te juntes ao site para onde escrevo? Enfim, obrigado por tudo. Um grande obrigado do fundo do meu ser. Espero que percebas este poema. Tenho a noção que é um pouco mais complicado porque já mo foi dito por amigos no outro site. Se não perceberes bem o poema, terei o maior prazer em explicar-to. Seria uma honra para mim. Uma vez mais obrigado e mantém-te sempre sempre sempre fiel àquilo em que acreditas, almejas e sonhas. São a chave para a tua própria felicidade. Beijos grandes e sinceros.
Auron Wintermoon
Enviado por Auron Wintermoon em 24/09/2006
Código do texto: T248372
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Auron Wintermoon
Portugal
11 textos (475 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 20:16)
Auron Wintermoon