Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Jardim Imperial (parte II : Natureza Morta)

 
 II
 
  Nem minhas queridas Damas-da-noite à sombra do luar,
  Todas aprumadas ao redor de minha casa,
  Conseguem expulsar o teu aroma de Não-te-esqueças-de-mim
  Que ficou impregnado nos cômodos de minha, agora, triste residência.
  Comigo-ninguém-pode repetes para mim em sonho
  Toda noite em que acendo um incenso de aroma relaxante na cabiceira de minha cama
  Com a esperança de dormir sem te encontrar.
  Começo a achar que conseguiste: sinto tua falta.
  Margarida disse-me para enterrar-te sob sete palmos,
  Já Betúnia aconselhou-me a mandar para ti
  Um bouquet de orquídeas colhidas na noite dos namorados
  Juntamente com um cartão cor-de-rosas-amarelas
  Onde constassem:
  Desculpas e um pedido de retorno.
  Toda manhã olho através de minha janela e tenho medo de este ano a primavera não chegar.


  (continua)
Gravor di Saint Danielt
Enviado por Gravor di Saint Danielt em 11/02/2006
Reeditado em 11/02/2006
Código do texto: T110374
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Gravor di Saint Danielt
Campo Grande - Mato Grosso do Sul - Brasil, 28 anos
34 textos (894 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 22:42)
Gravor di Saint Danielt