Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

poesia

Chamem poema à prosa, mas, sobre tudo, chamem a poesia! Chamem-na sempre, em chamas, em chama! Para se aquecerem nesse calor onde dizemos: este calor é ar_dor do poema! Encontraremos o poema, a palavra acesa!
É por este acesso que procuro chegar à 'alma', 'mala' das palavras poéticas, 'lama' do labor que é o meu amor do barro ao berro… das descobertas múltiplas, únicas, indivisíveis e pessoais onde são visíveis versos invisíveis que desconhecem fronteiras aos géneros!
Reconhecerei a olho um poema nos versos! Infelizmente, nem sempre encontrarei poesia nos versos!... Quando estiver triste, desiludido, sem imaginação... para aceitar a verdade dos outros, seja qual for a causa… E essa é a feliz idade, encontrar poesia no teu nome: Poesia!

{Possas dar a estes ver_sos o nome duma pessoa, o teu amor! Pois foram feitos para ti, leitor/a, da minha Poesia.

Do Mural:
Tendo tomado iniciativa de chamar a atenção de  "prosa poética" ser 'em prosa',/ hoje escrevi crónica que toca o assunto e acabei de publicar/ o meu primeiro texto, "poesia", nessa categoria./ Ao trazer o tema até ao Mural,/ torno o alerta geral!/ Saudações Recantuais!!}
Francisco Coimbra
Enviado por Francisco Coimbra em 27/03/2006
Reeditado em 27/03/2006
Código do texto: T129066
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Francisco Coimbra
Portugal
785 textos (310480 leituras)
37 áudios (39564 audições)
1 e-livros (148 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 20:55)
Francisco Coimbra