Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DOCE SAUDADE

Às vezes me pego triste pensando em ti; e a tristeza me fere qual brasa viva.

Me desespero  e a sua ausência queima meus olhos que vertem lágrimas de solidão.

Fico a pensar naqueles momentos lindos vividos em conta-gotas. Momentos que eu gostaria, durassem para sempre, mesmo sabendo que não é possível. Gostaria de sorrir, mas o sorriso não sai. Em seu lugar vem uma angústia que me seca a garganta, me arranha o céu da boca, me incomoda as narinas.

Tento de todas as formas disfarçar o desalento mas ele é tão presente em minha voz, meu olhar, meus gestos que é muito fácil para qualquer um notar o quanto triste estou.

E me perseguem as perguntas e eu fujo. Me procuram as ajudas e eu não quero. E vem o socorro e eu prefiro continuar enfermo, porque essa “doença” me mantém vivo e esperançoso.

Parece que se alguém me ajudar a te esquecer eu ficaria vazio, por que a única coisa de ti que ainda me resta é a sua distância, sua indiferença. O que me ampara é a vontade de reviver tudo outra vez, mesmo sabendo que depois o gosto será, ao mesmo tempo doce e amargo, bom e ruim, terno e odioso.

Triste saber que nossos momentos doces, hoje são amargas lembranças.

Triste saber que os momentos eram bons, doces e ternos apenas para mim.

Triste saber que de ti, de verdade mesmo, só possuo a saudade.

Muro das lamentações, caia sobre a minha cabeça. Quem sabe assim eu compreenda que as minhas dores são mínimas e até desprezíveis diante daqueles que perderam seu amor. Estes sofrem de verdade. Eu,... apenas choro a saudade de alguém que não tive.

JD - 28/03/2006 16:03
Jose Dias
Enviado por Jose Dias em 28/03/2006
Código do texto: T129997
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jose Dias
Presidente Prudente - São Paulo - Brasil, 53 anos
30 textos (22863 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 12:24)