Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Rastros e Restos de uma Paixão

Restos e Rastros

Depois que você se foi à meia noite de sábado, fez-se em mim um zero alado, aliado ao silêncio e ao cansaço de meu corpo, que procurou o sono dos mortos.
Vi em seus olhos algumas lágrimas e nos meus um nada, mas uma gota salgada me chegou aos lábios.
Dormi um sono tranqüilo, mas o sol não me visitou no domingo de manhã.
Lembrei-me do sonho que tive com camarões e baratas.
Um dia cinzento me tirou cedo da cama e agora sopra um vento forte, a quebrar todo o silêncio.
Aos poucos o vento expulsa as nuvens carregadas do céu. Aos poucos o azul aparece, mas ainda restam muitas cinzas a serem levadas pelo vento, e este trabalha árdua e sonoramente.
Penso então em ajuda-lo a cumprir sua missão, e saio pela casa juntando restos e rastros de tua presença.
Primeiro os pratos amarelados pelo curry, as xícaras com restos de chá, os cálices manchados de vinho.
Ponho-me a lavar tudo e pronto, está limpa a cozinha.
Na sala, me livro dos jornais de ontem.
No quarto de estudo, encontro a pasta que você usa para carregar os seus projetos.
Não me desfaço dela, mas a escondo atrás da cortina, no mesmo lugar em que sempre guardei a sua mala.
Chego ao quarto de dormir e me surpreendo: nada além da cama desarrumada, com minha lingerie vermelha no chão, para onde suas mãos a arremessaram.
Arremesso-a para a máquina de lavar.
O assobio do vento ainda é forte. O sol me olha indeciso.
Dou por finalizada minha tarefa e corro para o chuveiro. Teu cheiro escorre de mim.
Diante do espelho, passo um creme no corpo e percebo marcas em meu ombro, lá onde pedia para você me morder. Em minhas nádegas, teus dedos deixaram um desenho que se parece com amoras. As mesmas amoras da geléia do café da manhã que te servi ontem.
As marcas de tua boca, teus dentes, tuas mãos, persistem em meu corpo qual as nuvens cinzentas no céu, a esconder o sol.
Quantos sopros de vento ainda, para te expulsar de mim?

W.B. inverno/1997.


Rocio Novaes
Enviado por Rocio Novaes em 17/05/2006
Código do texto: T158007
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Rocio Novaes
Curitiba - Paraná - Brasil
203 textos (55089 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 10:26)
Rocio Novaes