Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

debate entre a namorada/namorado

Disse que me contaria o porque.
Dizer nunca foi o mesmo que prometer.
Alardeie isso aos ventos, eu só quero entender.
Pra que entenda, terá que crescer.
Ah, essa é ótima, dados seus enigmas.
Antes eles que seus estigmas.
Sou neve e espuma.
Eu aplaudiria a metáfora, mas prefiro a bruma.
Bruma?
Bruma a espuma.
O que?
É verdade. Prefiro.  Bruma você não vê.
E a vantagem disso tudo? Perdeu-se no ar?
A vantagem é que você não pode reclamar.
Você tem um gênio irascível
Antes isso que seu ego invencível.
É isso, chega. Meu CD do Caetano, por favor.
Ah, sim. Leve-o e me deixe agonizante de dor.
Captei a ironia.
Que ironia?
Certo. Uma pergunta. Quando posso pegar meus bens?
Você sempre decidiu seus bens, reféns, améns.
Como queira. Noite ou dia?
Meio.
O que?
Meia-noite. Meio-dia.
Isso explica porque deixa tudo pela metade.
Quisera compreender sua irritante alegria.
Certo, sempre achei que fosse pecado sorrir. Vou-me.
Antes cedo que tarde.
Procure não fazer alarde.
Captei a ironia.
Ironia? Não. É palavra de luxo.
Deixa disso, é citação da Adélia Prado.
Esqueci-me. Seu amor platônico e louco.
Ela não grita quando quebro um prato.
Ela também não grita por pouco.
...
...
...
...
(meu Deus... Agora entendi o que ela quis dizer )
Scarllet Souza
Enviado por Scarllet Souza em 21/05/2006
Código do texto: T160365
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Scarllet Souza
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 26 anos
14 textos (630 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 16:44)