Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Esta batalha

Queria eu apenas por um momento
Acreditar que seu amor me é suficiente
Que este insensato amor preenche
Todas as lacunas deste falho ser que sou

Que toda essa ilusão de que liberdade
E amor caminham juntos
Fosse o que realmente devo acreditar
Fosse o que realmente poderia acreditar

Que este delirante amor que me fere
A cada recomeço por devaneios persistentes
E em sentimentos distorcidos e inacabados
Não fosse a única razão do meu viver

Que cada manhã que cismo despertar
Para esta vida confusa, sem direção.
Eu tivesse a alegria de me aconchegar
Nas mesmas palavras doces, de quando estou distante.

Queria eu apenas por um momento
Acreditar que a vida é isso mesmo
E que nunca iremos sentir
Todo o prazer de uma felicidade constante

Que nada passa
Que nada poderá passar assim
Não por mim, não pra mim.
Que sou tão exigente

Que em meio a isso tudo
Você conseguiu construir colunas
A este castelo de areia que me vendes tão bem
E adentrar neste sonho como se as ondas nunca fossem chegar

E não que se ergueu um grande castelo
Na beira da praia, com toda a polpa de ilusões.
E por mais que a maré venha a subir
Seu castelo nunca irá desmoronar

Queria eu apenas por um momento
Acreditar que isso não é só o que seu amor me oferece
Que irá me dar um chão para pisar
De sólido concreto, pra eu nunca mais tombar.

Que eu vou sentir tudo na pele
Tudo que me sentes
Tudo que me queres
Na simplicidade de apenas ofertar

Que os sentimentos são de verdade
Que há verdade em toda a esperança pregada
Nos conselhos de boas pessoas
E não me sentir a isso tudo tão contrária

Que falamos a mesma língua
E conseguimos nos entender perfeitamente
Que seremos felizes por nós e mais nada
E não para que proves do que és capaz

Queria eu apenas por um momento
Acreditar que se nada disso fosse real,
Você me livraria disso tudo, tudo que é mal resolvido.
E não me despejaria todo o peso de suas afirmações

Que não vou te ver me condenando a esse elo sem jeito
Onde não sou igual a todos
Que pensam na tradição
Das coisas simples da vida

Que não vou querer saber dos motivos aparentes
E sem parênteses ver sua face límpida
Não me encaminhar à culpa
Dos estornos pelo passado

Que não vou querer desvendar os porquês
Não vou usufruir do mundo
Tudo que ele pode me oferecer
E que sei ser capaz de conquistar

Queria eu apenas por um momento
Acreditar que estar ao seu lado me basta
Que juntos alcançaríamos o paraíso
E teríamos em realidade a fusão de nossos sonhos

Que suas atitudes não me cortariam as asas
Que suas palavras não me ensinariam a pousar
Que a avareza de calor não contemplariam
Todos os impulsos em ser quem sou

Que mesmo que insuportavelmente sufocante
Tu não calarias meu grito
Que talvez por capricho
Eu não continuaria com isso

Que mesmo sabendo que morreria um pouco
Nesta batalha de gigantes
Eu não abandonaria meu mundo
Para somente amar você

Senhora Morrison
11/07/2006
Senhora Morrison
Enviado por Senhora Morrison em 12/07/2006
Código do texto: T192413
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Senhora Morrison
São Paulo - São Paulo - Brasil, 36 anos
54 textos (2857 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 00:08)
Senhora Morrison