Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

UMA PRECE SENTIMENTAL

UMA PRECE SENTIMENTAL


Ó Deus, aqui estou de joelho,
A implorar-vos um conselho.
Para junto de vós levastes minha linda mulher,
Agora não quero uma pessoa qualquer.
Ela era pra mim Maria Quitéria, a soldado Medeiros,
Ó Deus, tende os anjos e arcanjos por conselheiros,
Graças a vós não conhecemos a miséria sequer.

Ela foi e sempre será uma mulher perfeita,
De cabelos loiros, um olhar meigo que a enfeita.
Foram apenas vinte e cinco anos e meses de casados,
Porém, até hoje ainda vejo seus cabelos dourados.
Reverencio a vós e a sua alma sem suspeita,
Tende piedade de mim e dos filhos amados,
Minha filha caçula sonha com a mãe quando deita.

Tenho com ela sonhado e me vem sempre o desejo,
De estar com minha amada ainda que num lampejo.
Para sentir seu perfume, sua tez, seu sorriso encantador,
Ó Deus, dai-me a chance outra vez de rever meu amor.
Não quero minha morte embora pareça fraquejo,
Ainda que de relance trazei-me sua imagem,
Gostaria revê-la mesmo que seja numa miragem.

Não sei se estou certo ou errado mas não estou acostumado,
A dormir nesta cama de casal sem uma mulher ao meu lado.
Hoje como legumes, sem sal, porque não me acostumei ao fogão,
Ontem era ela quem fazia a comida e sustentava o meu coração.
Agora não durmo direito, bate forte o meu peito cortado,
Os filhos reclamam a mãe que vós deles haveis tirado,
Fico triste, encabulado e com eles chorado de tanta emoção.

Tenho um consolo, certeza até, que ela está junto de vós no céu,
Mas a nossa família, eu e três filhos, estamos num escarcéu.
Todos a suspirar por sua vez a morte de uma pessoa tão querida,
Hoje entendemos, com clareza, ela era a rainha da nossa vida.
E tentando me soerguer às vezes mudo às vezes ao léu,
Vede nossa dor, compadecei-vos, vede nosso sofrimento,
Aliviai nossa aflição, diminuí nosso tormento.

             Para a alma e o espírito dela nós temos rezado,
Ó Deus, vós que estais no céu, no ar, no mar e na terra,
Vede só, agora, como estou numa guerra,
Porque pelo destino fui fuzilado.

        Não quero morrer nem sofrer mais ainda,
        Mas dou-vos a vida ou do meu peito um lado,
        E que me perdoem meu pai e a mãe Benvinda.

            Outro amor me apareceu: uma jogadora de xadrez,
Fazei-me um favor ou matai-me de uma vez:
Que eu possa ser feliz com esta mulher e minha família,
Então vos peço e imploro humilde junto com a Emília,
  Paz ao espírito da Fátima, e, estou de joelho.
Senão serei um vivo-morto ou um homem sem sensatez,
             Ó Deus, pela uma última vez então, dai-me um conselho!

                       F I M

Limagolf
Enviado por Limagolf em 05/08/2006
Reeditado em 19/04/2012
Código do texto: T209604
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Limagolf
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 64 anos
180 textos (19792 leituras)
2 e-livros (254 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 18:24)
Limagolf