Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

crédito foto: Rosa Berg 

  

ASA QUEBRADA

Talvez eu tenha virado um anjo de asa quebrada que não sabe mais chorar, mas que insiste em não desistir de voar.

Não me arrisco mais em precipício, tudo agora é mais devagar.
 
Chega de despencar e me arrebentar de qualquer maneira.

A duras penas aprendi a ler a linguagem de meu corpo e se o sufoco tenta me abraçar sem eira e nem beira, viro poeira.

Já não conto mais as horas, porque não tenho ninguém para esperar

Também não sou mais uma sombra perdida no caminho, em meus escuros achei meu vulto tentando se iluminar.

Se minha respiração está ofegante é porque ainda estou tentando me desvencilhar do resto de saudade  ainda insistente querendo.
 
Mas a força da vida pulsa em mim com intensidade e para espantar os meus bichos,  aprendi dar frenéticos gritos de arrepiar.

Como a inquietação faz parte de minha essência, porque sempre amo o universo desconhecido, minha alma não me deixa descansar e mesmo com as asas quebradas eu dou um jeito de ir em frente, reaprendendo a voar.

Rosa Berg
Enviado por Rosa Berg em 05/09/2006
Reeditado em 22/11/2008
Código do texto: T233170

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Rosa Berg
Juiz de Fora - Minas Gerais - Brasil
509 textos (71848 leituras)
30 áudios (5857 audições)
2 e-livros (2212 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 13:59)
Rosa Berg