Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Escada de Nuvem

Descia a escada como quem desce de um sonho; a escada era feita de nuvem.
Descia com pés de anjo, raspando na escada branca por raspar; a escada era feita de nuvem.
Descia a escada como quem desce de um sonho; toda nuvem precisa, um dia, chover.
E a nuvem choveu.
E conforme a nuvem chovia, ela descia do sonho.
A escada chovia - a escada era de nuvem - e ela descia do sonho com pés de anjo; pés descalços, pés raspando.
Descia a escada como quem desce de um sonho; a escada era feita de uma nuvem que chovia. E quanto mais descia, mais chovia. E quanto mais descia, menos nuvem. E quanto menos nuvem, menos anjo.
E pés de anjo raspam suaves;
pés humanos raspam selvangens.
E pés humanos podem criar calos.
Descia a escada como quem desce de um sonho; todo sonho acaba com o despertar.
E despertou.
E descia a escada de nuvem que chovia com pés de não-anjo que raspavam selvagens e descia como quem descia de um fim-de-sonho.
O sonho acabara, a escada acabara; Não mais era nuvem, os pés não mais raspavam. Despertara.
Sobraram-lhe apenas os calos nos pés.
Ironia! Tudo o que lhe restou do sonho foram os calos!
Não sobrou nuvem, nem sonho, nem anjo.
Só calos - só dor sobra de um sonho findado.
The Dreamer
Enviado por The Dreamer em 19/09/2006
Código do texto: T244331
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
The Dreamer
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
8 textos (283 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 22:16)
The Dreamer