Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Selva de Pedra
Tere Penhabe

Caminho pelas ruas, colhendo histórias nas janelas
haverá paz, amor e união... em quantas delas?
Numa em que a cortina repousa serena, de cores amenas
talvez haja paz, ou alguém que a perdeu e não encontrou mais.

Na outra, um homem espreita o horizonte, tão longe...
Será que a pensar, em tudo que fez de sua própria vida
foi covarde, omisso ou simplesmente não a fez querida
deixou que as águas do destino o levassem à deriva, como eu...

Nessa selva de pedra, feita de amores e janelas, oculta-se
talvez sem querer, talvez sem saber, alguém
que poderia ter muito mais do que tem, poderia amar
suas manhãs estariam sempre sorrindo, o sol também...

Na minha janela, onde daqui há pouco eu vou estar
pulsa um coração apaixonado, não há como negar
um coração que é louco pela vida, pelo sonho, pelo mar
também por alguém, que não tem coragem de confessar.

Por isso às vezes se perde espreitando o horizonte, lá longe
não vê o burburinho de vida lá embaixo, não vê ninguém passar
mas encolhe-se indócil no peito, quando pensa que vai parar
será que antes disso, quem o faz bater vai aqui chegar...?

Santos, 12.09.2006_15:30 hs
www.amoremversoeprosa.com
Tere Penhabe
Enviado por Tere Penhabe em 20/09/2006
Código do texto: T244777

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Tere Penhabe
Santos - São Paulo - Brasil, 61 anos
252 textos (25814 leituras)
5 áudios (601 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 00:32)
Tere Penhabe