Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Translúcido

 
É provável que quando eu bater à porta alguém conhecido venha me
 receber e o muito que pode haver será um olhar perguntador.
E nem que o espaço entre nós seja repleto de palavras não muito serenas,
saberemos nesse momento onde o fio da navalha nos levou.
Vai haver, eu sei, ranger de dentes e tantas desculpas mal vestidas que
ainda que a cegueira tenha sido providencial a vida toda; não haverá
como não vestir as culpas se diante do espelho a verdadeira face brilhará
vitrificada.
É provável também que os mesmos choros que alimentaram a minha partida,
atrás da porta, sejam de alegria e não obstante eu veja desta feita os olhos
da alma de quem verte a alegria do retorno, minha alma não refletirá meu
olhos.
Para alguns pode parecer cruel, para outros melancólico e até nefasto esse
olhar tridimensional, quanto a mim, garanto ser consolo vislumbrar o que se
esconde atrás da cortina da vida.
O relógio sem horas,  contudo, marcando o ontem e o amanhã metodicamente,
sem pulos e sem sustos me dirá da certeza do tempo imortal; esse tempo que
não cabe nos frascos reluzentes, pois que perece quase sempre opaco, mas
que acordado depois de caídas as vendas, rebrilha como a luz atravessada
pelo translúcido da lágrima.
Não sabe, não viu e não conhece o colorido da essência da vida, quem não sente o arrepio na pele, quem não se olha de frente. Não pensa no amanhã como
resultado do hoje quem não cultiva carinho, quem não semeia amor.
Pela entrada proibida não só ecoam grunhidos, as mais belas melodias enredam
a alma dos passageiros do tempo.
Sei que me aproximo do horizonte pois os vendavais  enrodilham-se no
meu caminho, conto os passos como se não fossem devidamente
calcados no chão e sei que o chaveiro barulhento que torço
nas mãos aflitas, me servirá de renovo na eternidade.
Angélica Teresa Almstadter
Enviado por Angélica Teresa Almstadter em 31/10/2006
Código do texto: T278865

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Angélica Teresa Almstadter
Campinas - São Paulo - Brasil, 62 anos
1054 textos (55629 leituras)
25 áudios (3274 audições)
1 e-livros (247 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 10:30)
Angélica Teresa Almstadter