Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sonhos

Sonhos... que sonhos?...
Que são certos sonhos quando se é maduro?
Que créditos lhes ofereço, esse campo nebuloso?
Bom é ser criança, que acredita mesmo.
Meninos de fato crêem, vivem o invivido,
Enxergam-se grandes inda pequenos; sonham grande;
Meninos vêem a verdade onde jamais estará.
Mas tão bom é iludir-se, sem medo, sem ressalvas...
Meus sonhos têm um quê de análise – então não são sonhos!...
Talvez sejam planos... Mas e os sonhos?...
Esses ainda me alimentariam o espírito;
Às vezes alimentam feridas,
Que, às vezes somem, outras não; e daí?
O corpo também some, passa... o espírito prossegue.
Como se inventavam mesmo aqueles enredos fantásticos?
Poucos elementos me bastavam e já vivia infinitas histórias,
Histórias que nunca foram, e ainda assim sobrevivia.
Queria mesmo acreditar nos mais impossíveis sonhos,
Mas só consigo sonhar que acredito.
Éder de Araújo
Enviado por Éder de Araújo em 08/11/2006
Reeditado em 08/07/2008
Código do texto: T286075

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Éder de Araújo
Santo André - São Paulo - Brasil, 47 anos
158 textos (18909 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 08:47)
Éder de Araújo