Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Deixamos acontecer...

Cessam os ruídos ao entardecer.
O sol se despede para que tudo se cale... É noite, nossa é a noite...
Deixas que me consuma esta espécie de chama quente e ardorosa em que o sangue se transforma. Pulsa em ritmo incontrolável e quase sufocante. Vai-se o sono das minhas noites, o meu sonho vira andarilho pelos espaços,  único caminho para te encontrar.
Sente, então, que sou incansável viajante a te procurar. Descanso minha cabeça em teu peito e procuro o teu abraço.
Abraça-me... Pode ser que minha alma se sacie... A penumbra exalando um perfume de desejo, a necessidade de contar meu dia, o prazer de estarmos juntos...
Sabes porque as noites têm madrugadas e são escuras? E por que são silenciosas?
A madrugada aproveita a escuridão, deixa-se beijar pelos silêncios e penetra nas mentes amantes para que se deixem amar. Saem a vagar, pelas almas distantes, os desejos e os sonhos, para aplaudir os encontros que enfrentam os céus e desafiam o mar.
O encontro de nossos espíritos é tão forte, que os corpos estremecem e provocam prazeres, latejam suor, penetram em audazes viagens sem terra e sem ar.
E a noite, como manto de paz, deslumbra esta guerra de emoções e de batalhas renhidas, de sangue latente acelerando os sentidos pela vitória de mãos que acariciam e seduzem.
E aí estamos nós... Verdadeiros momentos.
E somos nós que deixamos acontecer...
Somos só nós...
Ida Satte Alam Senna
Enviado por Ida Satte Alam Senna em 29/11/2006
Código do texto: T305233
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Ida Satte Alam Senna
Santa Vitória do Palmar - Rio Grande do Sul - Brasil, 70 anos
111 textos (2723 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 20:00)
Ida Satte Alam Senna