Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Busca

EM BUSCA


Só nós seres humanos sabemos o quanto é difícil encontrar a felicidade e fazê-la permanente em nosso cotidiano.
Sabendo que esse sentimento tem  grandes dimensões, pelo qual acabamos nos desviando, vivemos em busca de algo que realmente amamos por uma vida inteira, em outras palavras, que nos faça felizes.
Antes mesmo de saber o que fazer para encontrar a felicidade ,os instintos  revelam ao homem  alguns desafios, tais como: o de ter que largar aos poucos a barra da saia da mãe, deixando sua segurança, de enfrentar medos desconhecidos, sendo o primeiro dele: o “COMEÇAR”. Assim pergunto: onde começar a procurar a felicidade? Ela está perto ou longe? Dentro ou fora do ser humano? São tantas e complexas perguntas, que nem sabemos se a vida irá respondê-las de uma só vez, ou se nunca terão suas respectivas respostas. Concomitantemente, a essa insegurança, surgem os medos de falhar, de frustrar por um  caminho escolhido.
Na busca pela felicidade, o homem sempre procura por alguém a quem amar, um  alguém que o compreenda e pelo qual pode ser  chamado “amor”. A vida é um desafio e encontrá-lo, certamente, não é fácil para todos, mas ninguém vive  a felicidade, sem o amor. É gratificante poder compartilhar a vida com alguém, compartilhar segredos mais íntimos, pedir colo, chorar, ser feliz.
Ah! o amor, palavra  fácil de ser pronunciada, mas ao mesmo tempo um sentimento difícil de ser encontrado. Assim, arrisco mais uma vez a uma nova pergunta: começar por onde, olhar nos compartimentos da casa, em lugares movimentados, lojas de conveniência, danceterias? A única certeza dessa busca é que ele não avisa à hora, o dia, o momento, e nem a pessoa por quem iremos nos apaixonar.
Se houvesse uma forma fácil de encontrar o amor, através da procura expontânea, talvez, o jornal seria o meio mais eficaz e poderia ser  usado desse meio de comunicação para uma apresentação do perfil, assim como encontrei em uma revista:

Sou morena, solitária, admiro o nascer do sol, não sei cozinhar muito bem, mas sou dedicada. Posso cuidar, mas adoro ser cuidada, tenho ideais e sempre busco  realizá-los, gosto de música, de malhar, dançar. Se estiver triste te alegro, mas saiba que meu maior defeito é que às vezes fico triste também. Procuro alguém que não seja perfeito, mas que  esteja em busca de um verdadeiro amor.

O amor pode estar muito próximo, mas para atraí-lo é necessário estar de bem com a vida, com paz espiritual, pois dessa forma é possível atrair coisas boas e positivas para a vida, pode até não ser um verdadeiro amor, entre um homem e uma mulher, mas pode ser uma amizade de verdade, dessas que muitas vezes vale mais do que tudo, que envolve sentimento de amor e de felicidade.
Vivemos constantemente em busca de felicidade, paz, amor, amigos, trabalho, novos conhecimento, mas achamos que o tempo é curto demais, ou muitas vezes é demorado demais, tudo depende da necessidade a ser buscada.
Mas, o importante mesmo, é viver cada dia de uma só vez, como se fosse o único, e saber aproveitar ao máximo esse momento, com muita alegria  e otimismo, superando todas as dificuldades para que com isso busquemos e encontremos os nossos sonhos mais íntimos, façamos a mais bela viagem, em busca de nós mesmos, carregando a certeza trazida nas palavras do poeta Thiago de Mello: Quem sabe o que está buscando e onde quer chegar, encontra o caminho certo e o jeito de caminhar.

Cibele Pandori
                                                            Pós Graduação
Gestão de Recursos Humanos



Cibele Pandori
Enviado por Cibele Pandori em 16/09/2005
Código do texto: T51018
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Cibele Pandori
São Paulo - São Paulo - Brasil
1 textos (43 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 13:49)