Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Num dia qualquer (4)


É porque amo que choro. Amo o sentimento e sinto muito, sinto tanto que nem sei mais o que choro. Amo o que sinto quando contemplo a vida, a casa vazia, a memória fareja fotografias. Convoco sorrisos distantes e deságuo as distâncias que prolongam meus dias. Convoco a muda alegria. Tudo se distancia na sensação do silêncio, silêncio no suor das paredes, suor na congelada euforia quando na marcha a boca tragou o vento e engoliu a semente da voz rouca a brotar nostalgia.
Preciso amar o sentimento da vida e amo tanto, amo muito que nem sei mais o que amo. Amo lacrimejando os sonhos das noites interrompidas, amo as luas de agosto, amo o fosco dessa luz que me embaça, amo o sol na minha face quando fecho meus olhos e disfarço, amo esse amor de laço pelas manhãs brancas germinando nos cabelos, amo o castanho do seu pelo na crina do meu cavalo sem sela na fuga dos dias... eu contemplo a vida na sua ironia a me selar no tempo. Amo e choro tanto que me dá contentamento.


Cristina Nunes
Enviado por Cristina Nunes em 07/09/2007
Código do texto: T642384

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cristina Nunes). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Cristina Nunes
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 60 anos
421 textos (32739 leituras)
9 áudios (1002 audições)
2 e-livros (97 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/17 07:25)
Cristina Nunes