Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Meu Barco

Naveguei por alamedas abarrotadas
de adereços luminosos,
que não foram arranjados para mim,
todavia, mesmo assim
despencaram sobre meus olhos e rosto,
e deixaram bálsamo
que cravou em meu espírito
o assombro pelo reencontro
com aquilo que sempre busquei.

Dei graças por essa benção dolorosa,
infinitamente bela,
e pela oportunidade de constatar
a beleza e imponência
da obra divina.

A procura é sempre
caminho árduo e espinhoso,
e o caminheiro,
invariavelmente,
fere-se em sua jornada.
Obviamente são feridas dolentes,
mas imensamente reconfortantes,
no sentido da comprovação
do caminho percorrido.

Cada chaga indica
um passo dado na exata direção,
no norte absoluto,
para vencer ondas e tempestades
com velas esticadas
e velocidade vencedora,
ao encontro de águas mais calmas
e horizontes claros e apaziguadores.

Meu barco,
o meu barco.
Barco de estrutura instável,
mas de madeira firme,
de lei, bem trabalhada,
que parado não se sustenta.
Veloz, rebenta marés
e rompe o oceano.
Esse barco
que hoje corta pélagos e tempestades,
amanhã recolherá seu pano
e regozijará ao sol poente.

André um Jerico
Enviado por André um Jerico em 17/09/2007
Código do texto: T656397

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Andre Barbosa de Oliveira www.ideiadejerico.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
André um Jerico
Monte Santo de Minas - Minas Gerais - Brasil, 47 anos
56 textos (824 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/08/17 11:12)
André um Jerico