Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DENTRO DA TARDE QUIETA


Na tarde quieta e azul eu me perco a divagar.
Um sino começa a badalar.
A cada badalada molha o meu olhar.
Eu vim aqui passear.
A saudade estava a me matar.
Na tarde azul que já não está silenciosa o sino badala.
Meu coração balança.
Vejo-me de novo criança.
A correr...
A subir a escadaria.
Estou de novo naquele dia...
Naquele que alcancei a torre e deixei que meus olhos buscassem as campinas.
Estou em companhia das meninas...
Éramos tão sonhadoras, tão lindas...
Deus, que foi feito de nós por este mundo afora?
Tantas foram embora.
As que ficaram silenciaram.
E eu?
Estou aqui a buscar...
Quem diria que tão pouco ia sobrar.

SONIA DELSIN
Enviado por SONIA DELSIN em 09/10/2007
Reeditado em 25/03/2011
Código do texto: T687174

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
SONIA DELSIN
São Carlos - São Paulo - Brasil
4682 textos (80859 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/10/17 15:51)
SONIA DELSIN