Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A Falta

Abriu-se o lago, sol encheu, água vazou,
Foi-se pro mar, foi-se pro céu, voou, voou.
Serpenteou lá no deserto, mar de areia, mar espelho
                                                                    do sol.
Voou, voou e ensaiou vagar, vagar... vaga vagou!
Foi-se pra lua ver a glória das estrelas.
Tornou-se delas a brilhar, brilhar, brilhar,
e gloriar-se junto com Andrômeda.
Foi pra cantar nalgum lugar longe daqui,
                                                   longe de mim.
Luz...
      Que...
            Brilha...
                    Brilha...
                             Brilha...
                                       Foi para brilhar,
Pra vicejar e rarear,
                        nalgum lugar...
                               Prismar.
Foi pra virar um arco-íris. Eu não te alcanço, ao longe vejo.
Diamante, pérola, donzela, dócil, dolente íris.
Ofusca o brilho em correnteza refletindo a luz.
Fantasiai. Voltai. Sonhai. Voltai a escrever.
Voltai pra cá. Alimentai os ais desse poeta...
Louco...
Rouco de tanto rogar
Aos anjos tantas vezes, tantas, em tantos prantos surdos,
frágeis, lentos, lentos, lentos...
“Dêem-me alento e vicejem o vaso morto,
onde antes florescera o lírio do campo,
o cravo raro, amarela rosa
Tragam de volta
                         o diamante, o diamante!”
Arpejo
Enviado por Arpejo em 25/10/2007
Reeditado em 14/11/2007
Código do texto: T708832

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor w o link para o site "www.sitedoautor.net"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Arpejo
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 39 anos
83 textos (3513 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/08/17 06:59)
Arpejo