Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Dançando na chuva

Na espreita da espera
Fazem-se razões de guerra.

Sugo a bebida, sugo o cigarro!
No mundo arquiteto
Onde corre o arrepio silencioso.

A letra, eu a trago em meu peito.
Gardênias no verso de cada bloco
Gentis em meu pacto de silêncio.

Explosiva mistura
Contraída aos lobistas
Proprietários da poesia.

Danço na chuva
Encantada de prazer
Na cidade de folga
Entrevistada nos bastidores, por algum poeta...

Solidário e venerado pela tristeza
Deflagra ao espaço ocupado
Na enfadonha viajem que faço.

Brincando aqui, sei nada!

Poderia aqui, ser mais uma estrela
No amor pela riqueza
No amor pela beleza...

Mas, sou o livro repetitivo
De algumas aulas particulares.

Significado do que eu faço?
Acostumado a perder
Em algum negócio sério!

Enfadonho professor
Não seja gigolô
Nesse arranjo de idéias!

Palavras proferidas de fé
Em seu habito de celebração da vida
Entre debates do reconhecimento.

Em minh’alma
Corre a maior chaga
Entre passos teus e meus.

Lágrimas de areia
Fecundam nosso gozo
Na intolerância de nossos seres.

Bendiga seja a música
Bondosa e justa
Na dança do que se crê.


Fernando A. Troncoso Rocha
Fernando Troncoso
Enviado por Fernando Troncoso em 03/11/2007
Código do texto: T721308

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Fernando A. Troncoso Rocha). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Fernando Troncoso
Praia Grande - São Paulo - Brasil
243 textos (4739 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/10/17 13:28)
Fernando Troncoso