Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O amor com sua geografia

Acidentada e chantagista
Verte a paz imaginável.
Solidária a ânsia
Do coração despudorado
Em ser filho da ternura.

Sorve atenta ao coração
Geograficamente inatingível.
Alegorias de um sonho
Atento ao que não alcançamos
Da fresca fonte de nossa elegia.

Mancha ebúrnea da distância
Morre e revive
Ao quebranto amoroso
Que ateou febre ao nosso desejo
De tudo que pretendíamos.

É andrógino lampejo,
Que ateia fogo ao nosso gozo.
Doce ferida sombria,
Que alumiou a fantasia
Madrasta do desejo.

Esquálida geografia
Cicatriz de uma distância
Que joga ao chão
A solidão do Atlântico que nos separa
Da inesquecível fragrância da infância.


Será a farsa de anjos?
Argúcia do versátil coração
Que cria a imagem senil
No improviso em tudo que nós amamos
E que chora dentro de nós...

Hoje escrevo meus versos na areia,
Para que o vento os guie ao teu coração.
Dar-te-ei a procura da brisa
Do pouco que eu sabia
Da infernal perplexidade de nossa geografia.


Fernando A. Troncoso Rocha.

Fernando Troncoso
Enviado por Fernando Troncoso em 11/11/2007
Código do texto: T732885

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Fernando A. Troncoso Rocha). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Fernando Troncoso
Praia Grande - São Paulo - Brasil
243 textos (4703 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/08/17 22:21)
Fernando Troncoso