Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

TESTAMENTO


Deixo-te o céu.
A eternidade azul do firmamento
Com estrelas a cair
encerrando inúteis esperanças
desse solo não há como sair.

Deixo-te um corpo.
Muitas formas, muitos rostos
E o gosto ruim de apodrecer
tão apegado és a carne que lhe acorrenta
que só faz proteger sua própria prisão.

Fecho-te os olhos, faço-te silêncio
para que durmas e descanse
da sua própria condição
Do que és na realidade
Tão pequeno e frágil
inverso da sua imaginação.

E quando diferente
quiser, desse sonho acordar
Para por todo o sempre ter um novo sonhar

Então nesse exato momento
Tiro-lhe a alma
Faço-te anjo
Dou-lhe asas
Livro-te do limitado pensamento
E na sala da definitiva casa
Ao infinito lhe apresento
Como meu único Testamento.
Carlos Edyl
Enviado por Carlos Edyl em 28/11/2007
Código do texto: T757032
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Carlos Edyl
Três Corações - Minas Gerais - Brasil
40 textos (1362 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/10/17 07:53)
Carlos Edyl