Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

E o tempo se abre, novamente...

É, depois de caminhar, peregrinar, penar e suar parece que eu alcancei um oásis. Talvez uma miragem que dura por alguns instantes, mas é brilhante como a lua e pára o tempo como ninguém o poderia fazer. Acontece que, atravessando esse oásis, eu já me deparo com um buraco, um fosso sem fim... Sim, já posso sentir a verdade, é uma miragem e no momento que eu alcançar esse fim tudo voltará como antes.
Acho que todo ser humano procura por um paraíso como esse oásis, mas infinito, como um porto-seguro dentro da mente. E quando a gente tenta desistir desse propósito, então simplesmente sentimos um gostinho desse lugar, até despertarmos e voltarmos em busca desse sonho.
Pancho
Enviado por Pancho em 06/12/2005
Reeditado em 13/01/2007
Código do texto: T81809
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Pancho
Sorocaba - São Paulo - Brasil, 30 anos
33 textos (1091 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 06:46)