Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Inquisição

Inquisição

Se me vês hoje não sabes o que vivi,
Se me vês hoje não sabes de onde vim,
Se me ouves hoje nos silêncios das palavras...
É porque há algo do meu passado a ser dito...

Meu passado...
Ele existe somente no silêncio da minha História,
É desvendado pelos ventos das minhas Lembranças,
Lembranças do cantar tímido de um Ladino quase esquecido,
Que se esvaece até hoje pelos guetos da ignorância...

Fecho os olhos e ainda ouço: Abraham Avino, Padre querido...
Lembranças quase passadas...
Elas ressurgem no fulgor da Estrela de Cinco Pontas,
Na Honra do Brasão quase esquecido,
Brasão que fora antes aquecido pelos sacrifícios dos antigos...
Hoje quase esquecido pelos desleixes da memória...
Se não me visses hoje, não te lembrarias...
Se não me ouves hoje, esqueces minhas palavras amanhã...

É quase noite, preciso ir...
Pois já vejo três Estrelas nos céus...
É verdade que elas são minúsculas como minhas lembranças...
Mas, elas brilham como brilha a minha História...
História quase esquecida...
São só lembranças? Talvez...
São certezas que carregam traços de esperança...

Carlos José Maciel Alves


P.S.: Esta poesia está devidamente registrada em cartório no nome do autor. Toda reprodução sem a devida autorização sofrerá as sanções penais previstas em lei.
Carlos Maciel CJMaciel
Enviado por Carlos Maciel CJMaciel em 13/12/2005
Código do texto: T85326
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Carlos Maciel CJMaciel
Recife - Pernambuco - Brasil, 45 anos
140 textos (4622 leituras)
4 áudios (148 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 08:46)
Carlos Maciel CJMaciel