Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

LEGITIMA DEFEZA

LEGITIMA DEFEZA
ERA SÓ MAIS UM SÁBADO DE MANHÃ E COMO OS DEMAIS, ELE SE DIRIGIA À CASA DE  SEUS PAIS, COMO PRENÚNCIO DO QUE ESTAVA POR VIR, AO PASSAR PERTO DO BAR DO "MIRO" VIU UM PEQUENO TUMULTO, POR ISSO EVITOU AQUELE PRIMEIRO GOLE -DIZIA QUE ERA PARA COMEÇAR BEM O DIA- AO SE APROXIMAR DA ÚLTIMA ESQUINA ANTES DE CHEGAR A CASA, VIU UM HOMEM TENTANDO ASSALTAR UMA SENHORA, SEM RECONHECER, RESOLVEU IGNORAR, AFINAL, TRATAVA-SE DE UM LUGAR VIOLENTO E TAL SENA ERA COMUM, QUANDO DE REPENTE AO TENTAR RESISTIR A AÇÃO DO MELIANTE A SENHORA FOI GOLPEADA A SOCOS E PONTA-PÉS, AO CHEGAR PERTO, PERCEBEU QUE SE TRATAVA DE ALGUÉM QUE CONHECIA, MAIS QUE ISSO, SE TRATAVA DA SENHORA SUA MÃE QUE O ESPERAVA PARA ABRAÇÁ-LO. ENTÃO NUM GRANDE DESESPERO POR VER A SUA MÃE CAÍDA AO CHÃO LAVADA DE SANGUE E O ELEMENTO AINDA SAINDO ANDANDO EXIBINDO A BOLSA QUE ACABARA DE ROUBAR, TAMANHO ERA A IMPUNIDADE, SEM PENSAR EM QUALQUER CONSEQÜÊNCIA, CORREU ATRAZ DO BANDIDO E O ABORDOU, SEM DAR-LHE CHANCE PARA SE DEFENDER E COM A AJUDA DE UM CONHECIDO QUE PASSAVA NO MOMENTO, GOLPEU-O ATÉ JÁ NÃO RESPONDER QUALQUER SENTIDO. QUANDO ATINOU, PERCEBEU QUE O HAVIA MATADO.
ENTÃO CORREU ATÉ A CASA DE UM DE SEUS IRMÃOS, QUE FICAVA EM UM BAIRRO VIZINHO E AO CHEGAR IMPROROU DIZENDO: “ME AJUDE A FUGIR, MATEI UM CARA”.
NESSE MOMENTO SE APROXIMOU UM VEÍCULO, E DELE DESCEU UMA PESSOA VESTIDA, COMO SE ESTIVESSE FARDADA E ENTÃO LHE CHAMOU PELO NOME...JULIO...JULIO, ATÉ QUE COMEÇOU A OUVIR A VOZ MAIS ALTA E ENTÃO PERCEBEU QUE ESTAVA ACORDANDO DE UM PESADELO. ERA A SUA MULHER QUE O CHAMARA PARA O TRABALHO...QUE NOITE!!!
SILVINHO
Enviado por SILVINHO em 10/06/2006
Reeditado em 02/05/2007
Código do texto: T172965
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
SILVINHO
Macaé - Rio de Janeiro - Brasil
8 textos (643 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 00:42)
SILVINHO