Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Pai

Fui assistir a um filme francês, “De tanto bater meu coração parou” (bom filme por sinal), e logo no começo, um dos personagens estava contando como a relação dele com o pai foi mudando ao longo do tempo e para mim fez todo o sentido do mundo.

Tive uma boa relação de pai e filho com meu pai onde sempre houve respeito (coisa cada vez mais esquecida entre as pessoas). Essa relação começou a mudar com a separação dos meus pais. Meu irmão já tinha saído de casa para construir a própria vida e eu fui morar com meu pai.

Deixamos de ser apenas pai e filho e passamos a ser “roommates”. Mas pela vida corrida que tínhamos, acabávamos passando pouco tempo juntos em casa. Em dezembro de 2001, num dia de manhã, meu pai passou mal e tive que levá-lo para a emergência do hospital. Realmente o problema foi sério e pela primeira vez na vida passou pela minha cabeça a idéia de que poderia perdê-lo. Era muito assustador imaginar que aquele homem, que ainda com o meu lado infantil de filho julgava ser imortal, pudesse vir a perecer.

Essa grande possibilidade de perdê-lo me fez dizer tudo o eu sentia por ele, caí no velho clichê de só dar valor quando se pode perder (os clichês existem porque são verdadeiros). Ele superou e ficamos mais próximos.

Além de sermos pai e filho e “roommates”, passamos a ser também companheiros. Conversávamos mais, ele pedia minhas opiniões, senti que a distância que existia entre a gente tinha se estreitado muito.

Infelizmente sua saúde voltou a piorar algumas vezes e o fez se aposentar de vez. Daí por diante, eu me tornei pai e ele se tornou filho. Muitas vezes eu passava a noite acordado para garantir que se algo acontecesse de noite eu estaria pronto para socorrê-lo. Em uma noite dessas, algo aconteceu e eu estava pronto. Mais uma vez o levei para o hospital.

Com o tempo de internação e a cada nova notícia dos médicos, mesmo não querendo, eu cada vez mais enxergava que ele não sairia dessa vez. Ele não saiu.

As coisas mudaram pela última vez, ele voltou a ser pai e eu a ser filho.
Lau
Enviado por Lau em 12/09/2006
Reeditado em 13/09/2006
Código do texto: T238184
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Lau
São Paulo - São Paulo - Brasil
6 textos (370 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 08:07)
Lau