Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

XAVANTES NOTAS DE VIAGEM - convivência na Aldeia Pimentel Barbosa Serra do Roncador

Tivemos o privilégio meu filho e eu ( ele com quatro anos na época 1984) de sermos os primeiros brancos convidados pelo cacique Warodi a conviver com eles. Vivenciar a cultura indígena foi  um desejo acalentado   desde a tenra  infância, realizá-lo foi extremamente gratificante. Uma experiência profunda é muito difícil de comunicar através das palavras por este motivo teci notas de viagem apenas, ainda estou digerindo, ruminando. Nada fácil comunicar a grandeza , riqueza cultural, desta comunidade, no entanto inicio com uma pequena prosa poética e agradecimento aos Xavantes...

No sorriso adorno, no hábito guerreiro honra.
Xavantes meu caro povo quero e preciso aprender ainda mais contigo,  ensina-me a passar tradição e liberdade ao filho e o manso saber de coletivamente conviver.
Tua dança  afirma existência terrena, comunitária e pacífica dando suporte à espiritualidade.
Em teus ritos de nascimento, passagens de idade, de mundos e de irmandade compreendo que ser Índio não é pertencer a uma raça é saber que todos somos de uma só, humanos e teu entendimento sobre  transitoriedade .
À vocês meus irmão meu respeito e uma pena imaculada em minhas mãos.
Que todos os dias voltem a ser dos Índios fiéis da terra guardiões .

Com vocês aprendi um pouco mais sobre a raridade que é o calar-se completamente  e que  quando o fazemos não só nossa pele fica sedosa enquanto que os  demais  tagarelam incessantemente em pensamento...Portanto continuo aprendiz do ouvir o vento, a terra, enfim os quatro elementos...

XAVANTES NOTAS DE VIAGEM

Observações Sobre a cultura Xavante durante convivência na Aldeia Pimentel  Barbosa  Serra do Roncador MT/ 1984

A Família

Os casamentos são arranjados, programados mesmo antes de nascer a criança geralmente já está “prometida”, porém as outras esposas poderão ser escolhidas se o conselho aceitar a escolha. As mulheres deixam a família para viver na casa da família dos maridos .   É uma moradia imensa em forma de cone feita de palha da palmeira de Buriti. Sem divisórias, da esquerda para a direita os mais velhos ( família mais velha ex. bisavô e esposa(s)), avô e esposa(s)e filhos, e assim por diante. No centro há sempre um fogo aceso dia e noite, um braseiro mantido. Na frente da casa há uma varanda onde também há fogo e onde muitos fazem refeições, enquanto outros se alimentam dentro de casa. Na supracitada  varanda as famílias fazem sua farinha e ficam sentados, acocorados conversando , fazendo seu artesanato, embelezando-se, etc.
Os homens podem Ter quantas esposas puderem sustentar,com  caça e pesca, só comem após filho(s) e esposa(s) estiverem  satisfeitos. ( comem até acabar não guardam restos nem estocam).Plantam arroz  também coletivo para toda tribo, este alimento sim é colhido e estocado, mas como é natural sem produtos para conservação deve ser consumido  rapidamente e é usado em trocas.
Há tempos em que não há arroz para comer, somente farinha e caça ou pesca, algum legume semente, frutos. Catam frutos tanto homens como mulheres em suas caminhadas.Catam chás, plantas, a planta tem o formato do órgão que vai ser curado, escolha  pôr semelhança .
As mulheres vão a “roça de toco" ( que é coletiva) com os filhos  bebês ( numa cesta  colocada as costas),trabalhar, colher e trazer alimento para o dia, sem estocar.  plantam nesta roça, milho, melancia, há 3 espécies de milho preto, vermelho e amarelo, e melancias amarelas ,vermelhas e brancas), há alguma banana plantada, e mandioca da qual usam para comer apenas a raiz  em forma de farinha, colhem a mandioca fazem fogo, coloca-a mandioca para amolecer no rio,depois esfarela e torra a farinha ( alimento básico) cuidam  dos filhos amamentam durante muito tempo, busca água diversas vezes por dia, no riacho ( rio) próximo,. ( vi alguns  homens o fazerem e me explicaram que estão mudando e que são livres  para  mudar esta  “regra”).
Quando não há comida em uma família , vão  aos vizinhos comer, o alimento é partilhado  com alegria.
Os artefatos e a construção das  casas  e sua manutenção  são tarefas masculinas; colhem na época da seca as folhas do Buriti bem colares de contas (sementes torradas e perfuradas, enfiadas em corda de buriti) , esteiras, arcos e flechas  e cestas para caça e para colocar as flechas e outras coisinha,  sementes, frutos e crianças.

Curiosidades sobre higiene beleza e estética
 
Todos os pelos são arrancados do rosto e do corpo( cílios,  sobre cílios, barbas ( que é rala), pêlos  pubianos  e das axilas. Os cabelos  geralmente são longos entre homens e mulheres e bem cuidados, passam  a castanha do Buriti ( previamente mascada)  nos cabelos que os mantém brilhantes fortes negros e belos.
Usam penas de aves para ocasião especiais, nos cabelos e às vezes no corpo.
Usam o Urucum ( a semente que é feito o nosso conhecido colorau, para pintura no rosto e corpo, para momentos especiais festas, competições e lutas. O carvão também é utilizado para maquiagem e disfarce nas caçadas e batalhas.( suas cores vermelho e preto).
Limpam- se uns aos outros  ( catando piolhos e os ingerem).
As mulheres não usam brincos nem furam as orelhas.
Usam colares feitos de sementes e adoram adornos. Tomam vários banhos durante o dia ( 3) vão ao rio para isto. Desde o contato com os padres católicos, vestem-se, cobrem o corpo com  calção, cuecas ou qualquer trapo que a FUNAI  lhe dê .Não sabem lavar  roupa os adultos tomam banho no rio, vestidos, por vezes,  e as usam até romper-se. Não possuem várias trocas de vestimenta.. Muitas crianças até 6 ,7 anos  não usam roupas.Não saem  da  tribo  despidos.

Lazer e treinamento exercícios de guerra

Diariamente existem jogos coletivos em alguns as mulheres participam, há torneios, competições programadas, de corrida do tronco de BURITI que chega a pesar 90kg, correm mais ou menos dez km. Com os troncos nas costas, muitas mulheres participam igualmente com os homens na corrida, há grande torcida .
Jogam futebol (aderiram este habito dos “brancos” !) gostam muito mas tem suas regras chutam bola...Não há número exato para  os times dos quais igualmente homens e mulheres participam .Há competição de arco e flecha somente entre os homens. Adoram pássaros, araras são  animais domésticos , existem cães na aldeia que dormem dentro da casa com seus donos.

 Governo

O cacique é o chefe  ( autoridade máxima).Ele e sua(s) esposa não participam de jogos, somente assistem.
O Cacique pouca caça, ou faz qualquer atividade que não seja a sua de governante, relações públicas, observa os membros de sua comunidade , visita-os, sua(s) esposa(s) não o acompanham. Participam apenas de grandes  festividades, somente assim saem de suas casa, recebe  visitas constantemente. Quando  este morre é substituído pelo parente mais próximo capacitado para o cargo.

O Conselho

Todas as manhãs  antes ainda do sol nascer ,o Cacique e os membros do conselho ( que é formado dos mais idosos os mais sábios) , mulheres não participam do conselho, reúnem-se no centro da aldeia para programar as atividades deste dia. A rotina de toda comunidade é decidida  neste momento. A noite o conselho reúne-se novamente para avaliar o dia , deitados, ou sentados sobre suas esteiras ( relaxados),sem olharem-se nos olhos cada um fala o que lhe vier a mente, é ouvido, há um silêncio ,as vezes longo até o próximo manifestar- se. (para os xavantes olhar dentro dos olhos é faltar com respeito, invadir a alma a alheia.)

Espiritualidade e saúde

Existe um Mestre Espiritual e um Curador ( xamã) nesta tribo estavam sem um Xamã. O mestre espiritual efetuava pequenas curas espirituais  que se assemelham com passes espíritas, sopros da umbanda branca, giros e ruídos, sopro de fumaça.Cantam muito todos os dias ao entardecer viram-se de frente para o rio e cantam, reúnem-se na praça principal no centro da aldeia todos, crianças, jovens mulheres e homens.
Dançam durante até 48 horas seguidas sem parar, homens, mulheres e adolescentes, crianças não. Dançam apenas para imitar e aprender porém fora do círculo.
Crêem  nos espíritos da mata, em feitiçaria , para eles as doenças são feitiços ( exceto as que o branco trouxe :gripe, por exemplo).
No Ritual no centro da aldeia usam o transe para comunicar-se com os índios “altos e loiros “que moram em outra dimensão atrás da Serra do Roncador com os quais buscam sabedoria, conhecimentos, conselhos,etc. Este transe é induzido com cânticos  e dança  ( quase pulos no lugar)sem qualquer ingestão de chás outra substância qualquer .Somente participam destes rituais homens (a alta hierarquia espiritual), animais crianças e mulheres não participam, ficam dentro das casas proibidos de sair enquanto o ritual está ocorrendo (a punição a  desobediência   a Lei é a morte à Burdunadas –( Burduna tipo tacape é uma arma, um pedaço de tronco de buriti esculpido).

 Educação

As criança até mais ou menos 7 anos é totalmente livre, não são reprimidas, criticadas, repreendidas, circulam livremente exceto nos rituais e ao anoitecer e respeitam a Reunião do Conselho .Aprendem com a observação com o exemplo, são  espontâneas, alegres, começam a caminhar muito cedo, aprendem a nadar sozinhas ainda antes de andar, descola-se do colo da mãe e saltam n’ água, nadando e flutuando como peixes.
Ao início da puberdade os meninos são isolados  da família  vão morar em uma casa própria . É nesta idade que se inicia um duro processo de disciplina para o jovem xavante, ele é proibido de quase tudo, não circula na praça central livremente, tem caminho separado para ir ao rio banhar-se, anda por trilhas, sempre evitando as trilhas das mulheres e dos mais velhos. Nas festas fica de frente para o sol sem poder olhar para o restante do grupo. Não participa dos jogos de disputa nem pode assisti-los, pois está ocupado com seus estudos e preparação para a vida de adulto, aprendendo a manusear arco e flecha, e passando por teste para RECEBER GRADUAÇÃO.TESTES de Resistência ao Frio ao medo à TOLERÂNCIA, a paciência, a obediência, testando seu orgulho e burilando seu EGO...Passa pelo teste do furo da orelha.  Conhece-se a graduação de um xavante pelo furo de sua orelha e o tamanho e espessura do pauzinho nela  “enfiado”( o interessante é que o furo na orelha corresponde ao ponto da acupuntura da terceira visão o olho )Com treze ou  catorze anos, já são considerados adultos.
A menina , menstrua é isolada dentro da casa da grande família, para tanto é confeccionada com esteira um isolamento (tipo biombo) que a mantém separada do grupo durante o ciclo. como  já está prometida, irá casar-se logo após este primeiro ciclo menstrual, saindo assim para a casa do marido deixando a casa paterna para sempre.
****************************************************“

Se achamos que o nosso objetivo aqui, na nossa rápida passagem pela terra, é acumular riquezas, então não temos nada a aprender com os índios.  Mas se acreditarmos que o ideal é o equilíbrio do homem dentro da sua própria família, e dentro de sua comunidade, então os índios têm lições extraordinárias para nos dar.” Claúdio Villas-Boas
****************************************************

virgínia vicamf
Enviado por virgínia vicamf em 04/01/2012
Reeditado em 29/07/2015
Código do texto: T3422206
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
virgínia vicamf
Novo Hamburgo - Rio Grande do Sul - Brasil, 62 anos
499 textos (21520 leituras)
4 e-livros (94 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/10/17 19:00)
virgínia vicamf