Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Falando sobre Pecados

Já que eu falei em pecados, creio que agora, preciso descobrir o que eles realmente são.  Acho que pecado é tudo aquilo que nós fazemos de errado. Ah, mas o certo e o errado são bipolaridades tão relativas...

E já que eu lembrei o que é pecado, me perdoe por aquela vez que eu passei e não dei atenção a você, me perdoe se era de madrugada e eu não quis atender ao telefone quando você ligou, chorando de ódio de sei lá o que, me perdoe por todas as brincadeiras de mau gosto, briguinhas, pequenas intrigas e mazelas que fiz sobre você, e você e você.

Comentando sobre os pecados que eu cometi, e pedindo perdão por eles, espero que um dia eu possa me redimir. É que, às vezes, preciso mesmo pensar em mim e pisar os pés no chão da minha realidade. Tem dias que eu não sei nem por que eu existo, quem dirá sobre você ou sobre outro...

Desculpe-me quando pequei sendo relapsa, quando não fiz a sua vontade, quando não atendi ao seu chamado na hora exata em que você gritou. Sim, foi um pecado muito grande da minha parte, e, nem sei se Deus vai me aceitar no céu depois disso. Como assim eu não posso te atender a qualquer hora? Que absurdo! Quem eu penso que eu sou?

Mas acho que um dos meus maiores pecados é ser apenas uma e fazer uma coisa de cada vez. Um favor de cada vez. Ouvir um de cada vez. É minha enorme culpa ter apenas um cérebro, dois ouvidos e uma boca. Acho até que deveria ter nascido com duas cabeças, quem sabe assim, eu conseguisse atender a mais pessoas ao mesmo tempo?! Infelizmente, não pensei nisso. Ah, que erro o meu!

Bem, agora, você a quem tantos pecados eu cometi (querendo ou não), deve estar imaginando que eu esteja esgotada, acabada, cansada e triste. Além de cheia de remorsos. Ora, seria essa sua vitória? Pois é, tente com outra, não foi desta vez. Embora eu veja todos os erros que cometi porque não estou o tempo todo ligada a ninguém, e também preciso cuidar de mim, há ainda muitas coisas boas que fiz e venho fazendo.

O dia que não lhe dei atenção, é porque estava conversando com alguém que chorava. O dia que eu corri bem na sua frente e nem disse nada, é porque fui socorrer um doente. Quando fiz aquela brincadeira de mau gosto, queria esquecer meus problemas e não pensei no que disse.  Já sobre a tal intriga, nunca falei nada ruim a seu respeito, minhas palavras foram totalmente distorcidas, e você, antes de me perguntar qualquer coisa, virou a cara para mim.

Se para você ainda valem mais os meus pecados do que os meus feitos úteis, tudo bem, já pedi perdão, e confesso, não vi meus erros, pois, estava preocupada em consertar alguns outros, que você, você e você acabaram cometendo e nem perceberam.

Não sou a única pecadora, nem sou santa, não sei nem se vou para o céu. Aliás, dependendo de como forem as coisas por lá, prefiro ficar vagando mesmo pela Terra, ajudando quem precisa, e fazendo as pessoas enxergarem, um pouco mais além de seus próprios narizes.
Carol Bohone
Enviado por Carol Bohone em 01/10/2007
Código do texto: T676382
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Carol Bohone
São Bernardo do Campo - São Paulo - Brasil, 24 anos
18 textos (2115 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/17 14:09)
Carol Bohone