CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

A CRONICA

Crônica – Registro de fatos ou acontecimentos (verdadeiros) em ordem cronológica.

Para aqueles que não sabem diferenciar a crônica da notícia, geralmente a lê como um fato como outro qualquer. Outros consideram a crônica como uma fantasia, uma historia humorística, ou algo para passar o tempo.
A crônica, geralmente, é publicada em jornais ou revistas e, ao contrário da notícia, a crônica nos faz refletir sobre a história que está sendo contada, é sempre um fato que reflete o nosso dia-a-dia, e muitos de nós não paramos para analisar.
Segundo alguns autores, a crônica atua entre a reportagem e a literatura.
A crônica é a história de alguém ou algo (real) composta por características da literatura, o que faz com que a atenção do leitor volte-se para esse texto.
A crônica registra a variação emocional do escritor.
Muitos confundem crônica com ensaio. A crônica se difere do ensaio porque no ensaio, o autor tem um objetivo a ser atingido, ou seja, uma idéia a ser dada na conclusão, onde esta será defendida pelo autor. Já na crônica, não há sugestão ou defesa de idéias, a conclusão fica a critério do leitor.
Mas, segundo alguns autores, a crônica possui uma característica semelhante ao ensaio, não existem duas crônicas ou dois cronistas iguais, assim como não há dois ensaios idênticos.
A crônica literária trabalha entre a poesia e o conto. Na poesia, a crônica trabalha em cima de “eu”, onde o “eu” é o assunto, e ao mesmo tempo o narrador. No conto a crônica trabalha com o “não-eu”, sem o lirismo encontrado na crônica poética.
Uma das características básicas da crônica é a brevidade. Um texto curto que ocupa um pequeno espaço na folha do jornal ou da revista.
Na crônica, a linguagem é direta, espontânea, de fácil entendimento e, é claro, não poderia faltar as expressões literárias que identificam a crônica.

Segundo Fernando Sabino a crônica representa “a busca do pitoresco ou do irrisório no cotidiano de cada um, visando ao circunstancial, ao episódico.”


Desde a consolidação da imprensa, a crônica se caracterizou como uma seção de jornal ou revista, onde se comentam acontecimentos do dia-a-dia. Segundo alguns estudiosos, a crônica é “filha do jornal e da era da máquina, onde tudo acaba tão rápido. Ela não foi feita originariamente para o livro, mas essa publicação é efêmera”. Modernamente, em função da qualidade literária de cronistas como Carlos Drummond de Andrade, Fernando Sabino, Rubem Braga, Luis Fernando Veríssimo, Pulo Mendes Campos, Rachel de Queiros, Lourenço Diaféria, entre outros, a crônica é comparável ao conto, sem perder, no entanto, o seu tom coloquial.

http://hdassessoriaacademica.blogspot.com/
Hellen Dias
Enviado por Hellen Dias em 23/05/2008
Reeditado em 03/01/2011
Código do texto: T1002496
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Sobre a autora
Hellen Dias
Goiânia - Goiás - Brasil, 33 anos
22 textos (68131 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/08/14 06:27)