Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

As línguas de Olavo Bilac e Caetano Veloso

Segundo Caetano o fato da miscigenação lingüística só prova que o  povo brasileiro  tem uma diversidade cultural aflorada e visível. Ainda assim o mesmo acredita em uma língua mátria, independente do que pensam ou não os portugueses, contudo ele também ressalta que a  língua brasileira não foi herdada como dádiva, nem como ato de heroísmo, apenas fomos submetidos a falar ou a fingirmos que aceitamos o português de Portugal como língua matriz. Que de tão pobre no Brasil ficou vulgarizado na boca dos “pobres brasileiros”, a consciência da língua além de corrompida foi mistificada, foi arrebatada. Observa-se em cenas do nosso cotidiano que  o brasileiro é subestimando a ouvir e falar todos os contingentes da linguagem portuguesa. Muita mistificação, muitas perguntas e poucas respostas...

”Gosta de sentir a minha língua roçar a língua de Luís de Camões
Gosto de ser e de estar
E quero me dedicar a criar confusões de prosódia
E uma profusão de paródias
Que encurtem dores
E furtem cores como camaleões
Gosto do Pessoa na pessoa
Da rosa no Rosa
E sei que a poesia está para a prosa”
(Trecho-Língua Portuguesa – Caetano Veloso)

Olavo Bilac foi fiel a sua pátria e sutil ao  falar da língua natal, declarando o amor por ela sem medir fronteira, percorrendo seus horizontes de forma sensível e humana. Apos análise profunda da língua portuguesa, Olavo também expões  em seu poema  a influência do latim em nossa língua que muitas das vezes nem nos importamos, mas que com certeza fez a diferença na construção do país.

“Última flor do Lácio, inculta e bela,
És, a um tempo, esplendor e sepultura:
Ouro nativo, que na ganga impura
A bruta mina entre os cascalhos vela...
Amo-te assim, desconhecida e obscura.
Tuba de alto clangor, lira singela,
Que tens o trom e o silvo da procela,
E o arrolo da saudade e da ternura!”
(Trecho-Língua - Olavo Bilac)

A língua trazida por Cabral e mistificada  aqui largou mão dos conceitos sigularistas com  José de Alencar e outros romancistas que fizeram uma verdadeira revolução ao  tratar língua portuguesa no Brasil.  Tanto Olavo como Caetano exalta no sentimento nacionalista, e tentam mostrar que a língua nacional é a  parte fundamental da identidade cultural de um povo. Mais de 200 milhões de falantes de uma língua que muito se sugere, mas poucos têm a ousadia de afirmar a sua definição historicamente falando quando se trata do “português do Brasil”.
Olívia dos Santos Nascimento
Enviado por Olívia dos Santos Nascimento em 07/01/2008
Reeditado em 07/06/2010
Código do texto: T807118

Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Olívia dos Santos Nascimento
Conceição do Almeida - Bahia - Brasil, 29 anos
18 textos (13677 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/11/17 06:51)
Olívia dos Santos Nascimento