CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

Resenha crítica de filme - Narradores de Javé

     NARRADORES DE JAVÉ. Produção de Eliane Caffé: Riofilme, 2003.1 DVD (100min), widescreen, color.

              Este filme produzido pela cineasta Eliane Caffé nos oferece algumas reflexões sobre a linguagem oral e a linguagem escrita, onde podemos perceber a supremacia da cultura letrada sobre a cultura popular de base oral; são notados também o aspecto da preservação da tradição, da memória popular e o confronto com a modernidade; e a indiferença da classe dominante para com a classe menos favorecida (uma população de analfabetos).
              A História se passa em um vilarejo no interior do sertão baiano, chamado “ Javé ”. O cotidiano tranquilo do povoado é abalado pela notícia da construção de uma usina hidrelétrica, que ao iniciar seu funcionamento, inundará tudo por aquela região. O povo de Javé inconformado com a situação resolve tomar alguma atitude, sendo orientados por um dos habitantes, que o vilarejo só poderia ser preservado, caso trata-se de um patrimônio histórico, partindo deste princípio a população tenta buscar no passado acontecimentos sobre a fundação do lugarejo e sobre a saga de seu fundador (representado pela figura de Indaléscio ), no desbravamento do sertão baiano.
            Para registrar todos casos e feitos heróicos da fundação e do fundador de Javé, a população necessita de alguém que saiba escrever, pois quase todos são analfabetos, a única alternativa foi recorrer a um antigo responsável pela agência de correios do povoado (Antônio Biá), que havia sido banido pela população por ter forjado cartas debochadas em relação aos próprios moradores. O ex-carteiro começa a ouvir os mais velhos e depois qualquer um que pudesse contribuir com alguma informação para o livro, que foi denominado pelos habitantes como o “livro da salvação”. Antônio Biá após ouvir muitas pessoas, chega a conclusão que não pode compilar todas as informações, por elas serem divergentes uma das outras, pois todos os moradores queriam falar algo, mesmo sem importância, só para fazer parte do livro, logo, o escritor não chega a um consenso. Por fim, Antônio Biá não consegue produzir o livro, e assim, não evita a inundação do povoado, que é forçado a se mudar de lugar, a partir daí é que ele começa a escrever uma outra história, a de como os moradores do vale de Javé, saíram deste local e foram começar a povoar outra região.
              Pode-se dizer que este filme ao projetar na tela as diversas partes que compõem a nossa sociedade, representa um clamor das classes excluídas, etnias e religiões, nos fazendo refletir com um olhar crítico sobre fatores que muitas vezes nos passam despercebidos ou ocultados.
             A diretora Eliane Caffé é Graduada em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, possui Mestrado no Instituto de Estética y Teoria de las Artes - Universidade Autônoma de Madri, Espanha. Iniciou sua carreira de cineasta com três curtas: O NARIZ, de 1987; ARABESCO, de 1990; e CALIGRAMA, de 1995; que ganharam diversos prêmios no Brasil e no circuito internacional. Narradores de Javé ficou com o prêmio de melhor filme no VII Festival Internacional de Cinema de Punta del Este, 2004.
 
                Alexandre Acácio Procópio dos Santos
               
Alexandre Acácio
Enviado por Alexandre Acácio em 05/04/2010
Código do texto: T2179614

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Sobre o autor
Alexandre Acácio
Formosa - Goiás - Brasil, 39 anos
12 textos (26797 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/04/14 10:23)