CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

Um breve “olhar” acerca do discurso pedagógico presente no filme Mr. Holland: Adorável professor

Este trabalho objetiva-se, esboçar um breve discurso acerca do processo pedagógico e educacional presente no filme Mr. Holland: Adorável professor.

O professor além de ser o agente motivador precisa está interessado no aprendizado do educando. Muitas vezes deparamos com professores desestimulados, que não se preocupam com a qualidade da educação, e sim com o retorno financeiro. Mas em cima desta realidade há várias questões entrelaçadas:  péssimos salários; falta de apoio em programas de aperfeiçoamento; etc.. Corroborando, portanto, que conhecer estes problemas enfrentados por um docente é um ponto positivo, para nos revoltar contra o descaso social. Precisamos lutar por melhores condições, este descaso precisa ser eliminado de nossa sociedade, esta profissão precisa ser valorizada, pois, é diante de um professor que alguém pode alcançar uma profissão de qualidade e obter melhores condições de vida.

No âmbito educacional, a articulação entre teoria e prática é de grande relevância para obtermos resultados significativos. Este método é imprescindível para o alcance de objetos esperados. O sucesso de uma aula está baseado em um bom planejamento, é aí que está um dos problemas enfrentados pelo professor, pois para se fazer um bom planejamento é preciso ter um bom tempo disponível, este tempo não é oferecido aos professores.

Nas primeiras cenas do filme, percebe-se que o professor Mr. Holland deixa a entender que não conhece bem qual é a verdadeira concepção de educação, pois, aceita lecionar apenas com o intuito de sobrar tempo disponível para compor músicas, e juntar dinheiro, assim - em sua percepção - poderia viver bem com sua família. Além disso, nota-se, que em princípio ele não teve uma boa relação com os alunos, agia de maneira autoritária, não dialogando com a turma de forma amigável.

O professor Holland ao longo de sua estada na escola foi aos poucos percebendo o interesse e a força de vontade de seus alunos em quererem aprender, porém o professor não tinha uma boa relação com os colegas de trabalho, inclusive com o vice-diretor do departamento. Percebe-se isto principalmente quando Holland questiona a seguinte concepção do vice-diretor:

[...], nossa única função é ensinar, nós não podemos ensinar e os alunos não aprender se não houver disciplina [...] estou querendo dizer que o Rock ‘n’ Row por natureza é uma ruptura da disciplina, [...] você tem que enfatizar músicas clássicas [...]. (Mr. Holland Opus)

Em resposta a esta concepção de educação, Mr. Holland esboça que:

tocar música tem que ser divertido, música é coração, música é sentimento, é fazer com que as pessoas achem lindo estar vivo, não é somente notas numa partitura. Eu posso te ensinar notas numa partitura, mas não posso tirar o resto. (Mr. Holland Opus)

Infere-se portanto, que Mr. Holland - após conhecer a realidade do educando - não ficou “preso” em um currículo tradicional, baseado na disciplina, no conformismo, na obediência ao capitalismo. Este professor deixa claro à importância de privilegiarmos os interesses dos educandos, e de motivarmos durante a caminhada dos mesmos, isto para que consigam adquirir sucesso, tanto profissional quanto pessoal. Está percepção corrobora com a nova concepção de educação.

O sucesso profissional de Mr. Holland não condiz com o pessoal, ou seja, Holland não conseguiu conciliar família com o seu trabalho. A gravidez de sua mulher foi o primeiro motivo pra ele se distanciar um pouco de sua família, pois para dá uma boa vida a sua esposa, ele passou a se esforçar mais no trabalho. Além disso, Holland ao descobrir o problema de audição de seu filho, ficou em pânico, pois este (problema) caberia muita atenção familiar, ele teria que dedicar-se ao seu filho, dando amor e carinho.

Para dá um tratamento especial ao filho, Holland passou a se destinar profundamente a seu trabalho, isto resultou numa falta de diálogo entre pai e filho, pois a criança junto com a família precisaria ter aulas de libras para que houvesse comunicação entre eles.

A escola, de início, é baseada em uma concepção tradicionalista, ou seja, ela não estava dando importância à cultura atual, e aos interesses dos estudantes. Diante disto, percebe-se que o capitalismo ainda estava presente nas práticas educacionais da instituição. O processo educativo revelava uma desconexão entre contexto cultural e ensino formal, pois durante as atividades da escola os alunos não se envolviam, existia um desencantamento, uma desmotivação visível.

Para romper com os paradigmas tradicionais presentes na instituição, o surgimento do professor Mr. Holland foi essencial, pois ao estabelecer a cultura como um dos fatores determinantes para a criação de pessoas humanas e competentes, Holland conseguiu motivar e despertar a vontade dos alunos em quererem aprender a tocar músicas. Assim, percebe-se que as questões pedagógicas e curriculares, precisam estar sempre em conexão com o universo cultural dos educandos.

O filme “Adorável professor”, (a partir do professor Mr. Holland) nos mostra a importância da coletividade, de trabalharmos juntos, principalmente quando temos os mesmos ideais, pois é daí que surge o sucesso, tanto profissional quanto pessoal. Diante disto, percebe-se, que na prática educacional é preciso criar momentos de interação, proporcionar meios para que todos se envolvam, principalmente na determinação de metas requeridas pela instituição.

Perante isto, Macedo dá muita importância a esta concepção de ensino, pois para ele,

[...] a prática introduz elementos e problemas significativos sobre e a partir dos quais se faz necessário refletir em termos coletivos [...]. As políticas e ações curriculares precisam nutrir-se de uma mirada clínica, ou seja, um olhar focado nos  movimentos singulares dos cenários socioeducacionais. (MACEDO, 2007, p.27)

Fazendo alusão ao que foi exposto acima, percebe-se - principalmente enquanto professor - a necessidade de termos um "olhar clinico" sobre a realidade. Este olhar nos leva a reconhecer as necessidades e os interesses do educando, além disso, ele pode determinar a qualidade de nossas práticas seguintes.


Referências:

Mr. Holland Opus; Gênero: Drama; Duração: 140 min.; Ano de lançamento (EUA): 1995; Distribuição: Buena Vista Picture; Direção: Stephen Herek; Personagem principal: Richard Dreyfuss (Glen Holland).

MACEDO, Roberto Sidnei. Conceito, campo e implicações político-pedagógicas. In: Currículo: campo, conceito e pesquisa. Petrópolis, RJ: vozes, 2007, p. 21- 30.
Rodrigo Reis Carvalho
Enviado por Rodrigo Reis Carvalho em 19/06/2011
Reeditado em 01/02/2012
Código do texto: T3045488
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Rodrigo Reis Carvalho
Euclides da Cunha - Bahia - Brasil, 27 anos
14 textos (3409 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 29/07/14 23:57)