Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Testamento nuncupativo de um poeta

Deixo encardido, sem assinatura,
este soneto, vão, defectivo...
deixo também um coração, cativo,
pra quem quiser fazer sua leitura.

Como uma fruta que ficou madura,
passou do ponto e apodreceu,
este soneto, assim como eu,
desintegrou-se em sua estrutura.

Perdeu o viço, o brio, a candura...
encalacrou-se em minha sepultura
como para provar-me que existira.

Inda que queira não farei censura,
pois estaremos na mesma fundura
a dar aos vermes toda nossa lira.
Herculano Alencar
Enviado por Herculano Alencar em 02/04/2006
Código do texto: T132488
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Herculano Alencar
São Paulo - São Paulo - Brasil, 62 anos
1334 textos (57791 leituras)
5 áudios (264 audições)
13 e-livros (3193 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 18:41)
Herculano Alencar

Site do Escritor