Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O tempo não espera por ninguem...

Não entendo porque tanta maldade...
Pois o tempo ingrato e traiçoeiro,
Foi embora com muita brevidade
Chegou logo e nada me avisou...
Não amei, e ninguém não me amou!
A enchente da velhice arrombou!
O açude da minha mocidade.
**************************************************

Eu amei, mas não fui apaixonado, 
Tive apenas amizade passageira! 
Esperei mas o tempo foi fingido,
Fazendo-me perder a vida inteira...
Não me disse, pra eu ser prevenido, 
Pelo tempo eu sei que fui banido
Enganei-me levei uma rasteira.


*************************************************
Na saudade aqui fico esperando!
Um amor que seja de verdade,
Para ver se apago minha mágoas...
Que no peito só tem ansiedade!
Mas a luz deste sol que me ilumina...
Chegará a pessoa, que pra mim será divina,
Pra amar-mos ate à eternidade...



htt://www.recantodasletras.com.br/autores/anizio
az_anizio@hotmail.com
//Anizio

Azsantos
Enviado por Azsantos em 03/05/2006
Reeditado em 08/06/2007
Código do texto: T149689
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Azsantos
Campina Grande - Paraíba - Brasil
652 textos (61147 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 02:47)
Azsantos