Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Tela: Antonio João Jesus
Escritor , Indigenista e Artista plástico cuiabano


Minhocão do Pari
 
No rio Cuiabá, prenhe de estória,
os encantados vivem no seu leito,
e os pescadores guardam na memória
as sagas, que hoje contam, de seu jeito.

 
Minhocão do Pari, desrespeitado,
desmorona as moradas ribeirinhas,
emborcando a canoa de pescado,
e devora os caboclos e mocinhas;
 
irado, o leito fere e cava fundo,

que até o rio muda seu percurso,
inundando os roçados, num segundo;
 
como narra o caboclo em seu discurso,
na lua cheia assombra todo mundo,

nos remansos profundos do seu curso.
 
Livro: Poesia das Águas, pg. 61


Minhocão ou minhocuçu
É uma minhoca enorme, monstruosa, que circula pelos rios e águas do Pantanal virando canoas, devorando pescadores, levantando grandes ondas e desmoronando barrancos dos rios. As lendas dizem que não se pode reformar ou restaurar a igreja matriz dda capital de Mato Grosso pois o minhocão encontra-se preso pelos fios de cabelo de Nossa Senhora.



 
Edir Pina de Barros (Flor do Cerrado)
Enviado por Edir Pina de Barros (Flor do Cerrado) em 11/04/2009
Reeditado em 20/05/2014
Código do texto: T1534162
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Edir Pina de Barros (Flor do Cerrado)
Brasília - Distrito Federal - Brasil
2090 textos (107333 leituras)
23 áudios (3224 audições)
92 e-livros (32233 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/12/14 06:41)
Edir Pina de Barros (Flor do Cerrado)

Site do Escritor



Rádio Poética