Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O TUDO E O NADA II


E se o tudo que foi nosso um dia
perder-se em nada, num vazio a esmo
Será que o tudo vai-se na alegria?
Ou será que o tudo vira um nada mesmo?

Preencher coisas, dizendo que é tudo,
talvez só seja preencher o nada
Não digo nada, observando mudo,
e a boca fica a descansar calada

Assim me vingo a esperar a noite
com o seu silêncio de poucas palavras
— quem sabe isso vá me trazer um afoite?

E nessa busca de pedras em lavras
eu elaboro a invenção de um açoite
em rimas roucas, tontas, vãs e bravas

Fernando Tanajura
Enviado por Fernando Tanajura em 16/06/2006
Código do texto: T176788
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Fernando Tanajura). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Fernando Tanajura
Estados Unidos
1466 textos (154741 leituras)
1 e-livros (154 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 00:25)
Fernando Tanajura