Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Dilacerado

Há uma solidão em minha alma
que surgiu infalível como câncer
consumiu todos os sentimentos
e me transformou em um bicho

Urro um bramido forte e seco
que ressuscita na corda bamba
e que traz consigo, muita dor
para explodir aos quatro cantos

Digo, não quero mais esta vida
choro, para eternidades vazias
imploro, que me assalte a morte

A errar sobre a terra, defunto
na noite perpétua, há de procurar
catre de pedra, e lençol de grama.

Obs: Soneto selecionado para fazer parte da Antologia "Os Mais Belos Poemas de Amor" da CBJE - Câmara Brasileira de Jovens Escritores – A ser publicado em Maio de 2007

http://www.camarabrasileira.com:80/osmaisbelospoemas2007.htm
Heli de Abreu
Enviado por Heli de Abreu em 27/08/2006
Reeditado em 26/04/2007
Código do texto: T226825
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Heli de Abreu
Itapecerica da Serra - São Paulo - Brasil, 36 anos
43 textos (5348 leituras)
1 e-livros (64 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 12:01)
Heli de Abreu