Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Soneto à Eternidade[1]
 
Revelação! A morte vem em vão!
Vi tudo em Cristo, na Ressurreição
Na Redenção, livre do cativeiro
Tornou-se o homem seu maior herdeiro

Divina Graça para todos seres
Querênça mor a que nem os poderes
Majoritários podem interceder
É alvorada pra nosso morrer!  

Em nosso Cristo há o exercer
Do dom Divino e a todo mal vencer
E procriar com  amor os descendentes
Trazendo à tona a vida transcendente!
 
Unindo em ponte a morte com a vida
Paternidade! Vida desmedida!

[1] Forma inglesa 4-4-4-2 versos, Decassílabo, Rimas emparelhadas
Cabeça de poeta
Enviado por Cabeça de poeta em 04/10/2006
Reeditado em 03/05/2008
Código do texto: T255960

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Osvaldo Brito, http://osvaldobrito.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Cabeça de poeta
Fortaleza - Ceará - Brasil, 63 anos
185 textos (22074 leituras)
1 e-livros (43 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 13:41)
Cabeça de poeta