Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Honestidade

Impáciente sob o mais recôndito véu
Prisioneiro de asas partidas
Sonhando com a amplitudo do céu
Entre outras aves perdidas.

Deram-lhe como luz a noite
Como alimento o fel
Como veste o açoite,
Negaram-lhe o favo de mel.

Em seu fechado reduto
Caminha na esperança
De receber seu indulto.

Vivendo de cruel lembrança
Recebe grave insulto
Sem ter direito a fiança.
Nísia Maria de Souza
Enviado por Nísia Maria de Souza em 08/10/2006
Código do texto: T259235
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Nísia Maria de Souza
Natal - Rio Grande do Norte - Brasil, 56 anos
197 textos (3141 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 10:25)
Nísia Maria de Souza