Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

saudade (soneto)

Põe-se já’o sol em minha alma tão triste
Noite negra, lenta em mim se detém
Vindo sem pressa nem qualquer desdém
Vem tirando as forças a quem resiste

Á leve dor que na falta existe
Tão leve que sempre no vento vem
Chega na brisa a falta de alguém
Vem como que um sopro do oriente

Que se vinga assim de quem lá chegar
Plantando nos corações saudade,
Que fria, crua e cruel como o mar
 
Nos dá uma grande e bruta vontade
De partir de correr e de voltar
Que nos mata sem qualquer piedade

------------------------------------
É uma tentativa de soneto, que perdeu por culpa da metrica muito do encanto do seu tema, a tão portuguesa saudade abraços e obrigado por a leitura

           Tiago Marcos
chomanno
Enviado por chomanno em 26/10/2006
Código do texto: T273992
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
chomanno
Portugal, 29 anos
19 textos (276 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 17:52)
chomanno