Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Soneto ao infiel

Sou uma mulher e nada mais
De equilíbrio distante
Com pés e alma lavada no presente
Com olhos de espiar no recente passado.

Tenham pena de mim, oh homens cruéis,
Deitem vagarosamente, silenciosamente sobre tantas
Seus corpos lascivos
De piscadelas de escárnio.

Hoje, e meu tempo é quando dure,
Não sei fazer rimas.
As literatices tornaram-se enfadonhas.

Sobrou-me a certeza errante,
E a pena dos desolados, a dolência dos loucos,
De que homens vivem de volúpia e morrem sem ter amado.

Géssica Ranieri
Géssica Ranieri
Enviado por Géssica Ranieri em 22/10/2007
Código do texto: T705449

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Géssica Aparecida Botelho dos Santos). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Géssica Ranieri
Santo Antônio de Pádua - Rio de Janeiro - Brasil, 27 anos
36 textos (7429 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 09:53)
Géssica Ranieri